POISON BOOKS - O Clã dos Dragões (Ilkka Auer)

Em 18 abril 2014

Autor: Ilkka Auer
Tradutor: Pasi Loman & Lilia Loman
Editora: Gutenberg
Série: Sim, livro 1 (série Terras de Neve e Gelo)
Temas: Aventura, Infantojuvenil, Dragões, Buscas
SINOPSE: Nos tempos antigos, o reino de Noridium era governado pelos temíveis Dragões Negros. Durante séculos, na fria região de Caldia, circularam lendas sobre a Bruxa do Gelo, que seria a descendente cruel e imortal dessas criaturas. Porém, essas lendas se tornarão realidade para a adolescente Nonna e para seu protetor, o urso polar de estimação Fenris. Depois de ver sua aldeia atacada e destruída, ela é forçada a deixar sua casa e sua vida para trás. Os rumores de que os deuses antigos voltaram à Terra aumentam a cada dia, e tudo começa a mudar. O grande temor é que o Clã dos Dragões recupere seu domínio. Nonna se vê, então, em meio a uma luta pelo poder, e ameaçada por um grande mal. Ao procurar defender-se, descobre mais sobre seus ancestrais, mas percebe que está mais envolvida com o futuro do reino do que poderia imaginar.


>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“Dentre os guerreiros selvagens de Noridium, com frequência as pessoas notam um grupo desgraçado de gnomos negros, os guardiões das montanhas mais sombrias dos Deuses da Escuridão.”

RESENHA<<<
Pode parecer meio clichê, mas em um título chamado ‘O Clã dos Dragões’, eu espero ver os bichinhos por todas as partes na história e confesso que me chamou atenção porque há tempos não li nada sobre eles, a última história foi com Seraphina.

Bem, se você acha que vai vê-los a torto e a direito, já tiro logo seu cavalo da chuva, eles aparecem sim, mas bem menos do que gostaria, aliás, eles só começam a aparecer quase no fim do livro, antes, são lendas, coisas antigas que as pessoas passam de boca em boca, mas ver, ninguém nunca os viu.

A trama se concentra muito na pequena Nonna e toda a sua jornada pelo mundo gelado onde se passa a história e seu fiel Urso de Gelo, Fenris. Na verdade o livro tem mais a ver com os mistérios sobre a menina e suas raízes, o que torna a leitura bem cansativa, pois além de arrastada, são páginas e páginas narrando a mesma coisa monótona.

O mundo criado pelo autor é interessante, mas vou confessar que é um livro que realmente me deu sono e muito, era começar a ler e poof, um sono imortal e anormal se apoderava de mim, foram longos seis meses para conseguir chegar à sua conclusão e sinceramente, não tenho animo para ler os outros três livros da série. Acho que o autor poderia ter sido mais sucinto, essa narrativa esticada misturada com um enrolar de informações rende uma leitura muito lenta e pouco animadora.

Outro motivo para o meu descontentamento é a falta de dragões e de ação. Na história, Nonna passa muito tempo andando de um lado para o outro e por mais que coisas aconteçam ao longo do caminho, parece sempre se repetir a ideia... “ela é direcionada para algum lugar, tem algum mistério, conhece boas pessoas, pessoas ruins, acontece algo – geralmente alguma revelação da vida dela e ela vi para um novo lugar”. Essa repetição foi cansativa.

A quantidade assustadora de personagens que o livro traz e a mudança de cenários (principalmente porque todos os lugares tem nomes complicados), foi outro ponto negativo que atrapalha o leitor. Ultimamente as fantasias andam seguindo essa vibe do excesso; excesso de informações, personagens, enredos, enrolação e nós, leitores, acabamos ficando sem folego para chegar ao final.

>>>Nas redes sociais há mais venenos <<<