BOOKS || A Filha do Apanhador de Demônios (Jana Oliver)

Autor: Jana Oliver
Tradutor: Santiago Nazarian
Editora: Farol Literário
Série: Sim, livro 1 (série Apanhadores de Demônios)
Temas: Jovem-Adulto, Demônios, Distopia,
Riley Blackthorne precisa apenas de uma chance para provar do que é capaz. E é exatamente com isso que os demônios estão contando... Riley tem apenas dezessete anos e é a única filha de Paul Blackthorne, um lendário caçador de demônios. Ela sempre sonhou em seguir os passos do pai e, em tempos de crise econômica, e de Lúcifer infestando as grandes cidades com novos demônios, a Associação de Caçadores de Atlanta está aceitando toda ajuda possível, mesmo que seja de uma garota.
Quando ela não está fazendo o seu dever de casa, ou tentando disfarçar a queda que tem por Simon, outro aprendiz de caçador, Riley ajuda a proteger os assustados moradores da cidade das figuras demoníacas. Somente as de Nível Um, seguindo as regras do seu treinamento.
Sua vida caminha normalmente, na medida do possível para uma adolescente caçadora de demônios, até que um demônio de Nível Cinco trava uma batalha com Riley na biblioteca. Como se isso já não fosse ruim o bastante, sua vida ainda é abalada por uma terrível tragédia, colocando em risco todas as suas escolhas e levando Riley para um perigoso caminho. Com o mundo desabando ao seu redor, a quem ela poderá confiar sua vida? E o seu coração?
>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“Riley Blackthorne fez uma careta.”

RESENHA<<<
Apesar de ter curtido bastante a ideia do livro, achei que ele poderia ter sido muito mais do que foi, talvez a falta de foco da autora em uma determinada questão ou de repente por já ter visto essa ideia em outro livro e lá a coisa era melhor trabalhada – sim, me lembrou muito de Anita Blake e mesmo entendendo que aqui é algo Jovem-Adulto e lá Adulto, acredito que a autora tinha potencial para muito mais.

A autora fala de uma personagem que é uma apanhadora de demônios, Riley, a qual vive em um mundo meio pós apocalíptico, mas isso não é o foco do livro, tanto que nem é tão trabalhado assim, o problema é que a personagem de Riley fica um pouco a desejar, tem momentos que ela é bem trabalhada, mas tem momentos que é chatinha e mimizenta e a mudança as vezes ocorre em poucas páginas e são muito repentinas.

As aventuras da menina atrás dos monstros e principalmente do monstro que atacou seu pai, foram os momentos que mais me irritaram, como alguém super descolado – essa é a impressão que a autora quis passar sobre a menina – pode cometer erros tão primários e bobos? Isso que me deu raiva, e o fato dela querer provar a toda hora que ‘era boa’, afffff, esse tipo de pessoa é irritante tanto na vida real como na literária.

A série é grande, até agora são quatro livros (e pelo que li rapidinho, o livro 4 ainda não era o último), por isso acho que a autora pode melhorar nos próximos, trabalhar melhor o mundo apanhador de demônios que ela fala, fala mas acaba não dizendo nada. Definir de fato quem a personagem quer ser e melhorar na agilidade de sua história, pois ela tende a descrever detalhes e mais detalhes e em alguns momentos a coisa fica um pouco chata/repetitiva.

O grande mistério fica por conta mesmo dos demônios e o que de fato elas parecem querer com a família de Riley, apesar de isso ser pouco comentado/visto pelos outros personagens, é de fato o que vai amarrar todos os livros da série.            

Share:

0 comentários