POISON BOOKS - Colin Fischer (Ashley Edward Miller & Zack Stentz)

Em 30 abril 2014

Autor: Ashley Edward Miller & Zack Stentz
Tradutor: Henrique Amat Rêgo Monteiro
Editora: Novo Conceito
Série: Não
Temas: Infanto-juvenil, Relacionamento, Comportamento
SINOPSE: Resolvendo o crime. Uma expressão facial por vez. O ano letivo de Colin Fischer acabou de começar. Ele tem cartões de memorização com expressões faciais legendadas, um desconcertante conhecimento sobre genética e cinema clássico e um caderno surrado e cheio de orelhas, que usa para registrar suas experiências com a MUITO INTERESSANTE população local. Quando um revólver dispara na cantina, interrompendo a festinha de aniversário de uma das garotas, Colin é o único que pode investigar o caso. Está em suas mãos provar que não foi Wayne Connelly, justamente aquele que mais o atormenta, que trouxe a arma para a escola. Afinal de contas, a arma estava suja de glacê, e Wayne não estava com os dedos sujos de glacê…


>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“Em mar aberto, os peixes costumam nadar juntos em cardumes.”

RESENHA<<<
Este livro não é algo que vemos muito por aí, um livro sucinto, sem enrolação, mas que passa toda a história, com reviravoltas e informações interessantes em tão poucas páginas, apenas 180. Estamos tão acostumados a ter páginas e páginas de ‘encher linguiça’ que quando nos deparamos com algo assim ficamos com um pé atrás e nos perguntamos se é possível tirar algo bom dali.

Sim, o livro pesar de fininho, ele foi bem estruturado, nos surpreende com suas ideias, reviravoltas e até o jeito um pouco enrolado do protagonista que no início não estamos acostumados é a grande sacada desse livro.

Colin é aquele personagem que começa meio mala, mas de repente vai crescendo e se transforma, apesar da história não é mirabolante, mas foi bem sacada e tem esse quê de policial inteligente, quando eu achava que podia ser a pessoa X, tudo mudava, gosto disso de nada ser tão obvio.

“[... as pessoas são como jogadores...]
deixam passar boas oportunidades
que estão bem na sua frente em troca
de outras imaginadas melhores e
que quase nunca se materializam.”

O introdutório de cada capítulo era algo bacana e aos poucos nos fazia entrar ainda mais no mundo de Colin, uma pessoa com Síndrome de Asperger que não suporta ser tocada, e em tem todo um jeito de relacionar coisas e pessoas, além e uma memória sensacional. Por isso quando as coisas saem da linha do normal, cabe a ele fazer com que tudo volte a ser como antes, e aí o pequeno gênio se sobressai, mas pode ser que sua vida mude no processo.

Apesar de um livro simples, ele consegue o que muitos apenas tentam; prender o leitor, dar algo novo e interessante para pensar, diverti-lo e ainda por isso ser curto o suficiente para que o mesmo leitor termine rápido, mas fique com aquele gostinho de quero mais.

A leitura é rápida, às vezes meio irritante, às vezes divertida, passamos por muitas situações com Colin, mas ficamos tão presos nessa aventura que a gente começa a leitura e quando percebe o livro já terminou.

>>>Nas redes sociais há mais venenos <<<