POISON BOOKS - A Ascensão do Colosso (Peter Lerangis)

Em 07 abril 2014

Autor: Peter Lerangis
Tradutor: Camila Fernandes
Editora: Verus
Série: Sim, livro 1 (série As Sete Maravilhas)
Temas: Infano-juvenil, Aventura, Mitologia, Escola
SINOPSE: Apenas um garoto... Jack McKinley é um menino comum com um problema incomum. Dentro de alguns meses, ele vai morrer. Apenas uma missão...Depois que Jack entra em colapso no meio da rua, ele é levado para um hospital esqui¬sito em um lugar misterioso. Há guardas armados nos corredores, crianças estranhas e criaturas fantásticas, além de nenhum pai ou mãe, nenhum telefone e nenhuma possibilidade de fuga.
O lugar é administrado por um excêntrico professor chamado Bhegad, o qual afirma que Jack tem uma disfunção genética herdada de uma civilização há muito perdida, que está destruindo o garoto ao deixá-lo forte demais muito rapidamente. Porém Jack precisa permanecer forte — porque cabe a ele salvar o mundo.
Apenas um problema... Essa civilização há muito perdida afundou quando sete esferas mágicas foram roubadas e escondidas ao redor do mundo. Agora, Jack e seus amigos precisam encontrá-las antes que elas caiam nas mãos erradas. Primeira parada: o Colosso de Rodes, onde percebem que há muito mais em jogo do que somente a vida deles.


>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“Na manhã marcada para minha morte, um grande homem descalço, com uma barba ruiva espessa, passou pela minha casa mancando feito um pato.”

RESENHA<<<
Se na sinopse tiver algo ligado à mitologia a chance de eu ler o livro é enorme, posso até me decepcionar (como foi o caso), mas irei dar uma chance já que é um tema que adoro e muito.

Não sei quanto livros essa série vai ter, mas ao que tudo indica será sete (sete maravilhas = a sete livros), não sei se tem gás e energia, ou o pior, história para segurar sete livros, mas nesse momento que qualquer série precisa ter pelo menos cinco livros, é fácil enrolar sete livros. Fiquei chateada porque a ideia era boa, mas a aventura não convenceu.

A história é jogada de uma forma muito louca no nosso colo, do nada descobrimos que algumas crianças tem um ‘Q’ especial e elas acabam sendo levadas para uma ilha deserta(?) e lá recebem um parca explicação das coisas, mas de alguma forma estão ligadas ao mundo antigo. O problema aqui foi o jeito que as coisas foram contadas, organizações secretas com uma ideia sem pé nem cabeça, as explicações mal contadas e de forma que as coisas não fecham, o autor não foi muito feliz no começo do seu mistério.

Depois temos as próprias crianças, aventura com crianças é bom, mas precisa ser divertido, tem de ter cara de ação, de coisa plausível, são crianças, então vir com teorias complexas e que é preciso juntar mil coisas acaba deixando a aventura emperrada. Acho que o autor tentou puxar a ideia de ’39 Pistas’, onde o mesmo também escreveu alguns livros, mas lá a coisa é leve e divertida. Você vê que é possível embarcar atrás das pistas e seguir caminho, o que não aconteceu aqui. Tudo ficou empacado.

Falando das crianças ainda, não consegui embarcar com elas nessa aventura, os personagens não me animaram ou não se destacaram aonde deveriam, e depois de algum tempo até seus nomes eu confundia, já que nenhuma se destacou mais do que a outra, no fundo elas eram meio que uma coisa só.

Finalmente chegando à mitologia, apesar da ideia geral estar lá, o autor não ousou ou transformou em algo bacana, ele meio que pegou o conceito de mitologia que conhecemos e jogou em algumas situações, mas pela história toda ser de forma jogada, acabou não ficou bom, poderia ter sido muito melhor. Em comparação com outros autores e o mesmo tema, a gente mal começa a ler esse tipo de livro e já devora o livro todo perguntando quando o próximo chega, aqui eu lia com aquela sensação de ‘esse livro nunca termina?’.

Depois de muita enrolação durante o livro a gente tem uma pequena finalização (lembra que já tem três livros publicados lá fora e podem ser sete livros no total) de forma corrida e apressada. Porque paginas e páginas de explicação chata e cansativa e o final ser corrido? Preferia um livro uniforme e divertido, coisa que esse infelizmente não foi.

>>>Nas redes sociais há mais venenos <<<