POISON BOOKS - Um Toque de Vermelho (Sylvia Day)

Em 02 dezembro 2013
Autor: Sylvia Day
Tradutor: Alexandre Boide
Editora: Paralela
Publicação: 2013
Páginas: 295
Capítulos: 24
Série: Sim, livro 1 (série Renegade Angels)
Temas: Adulto, Vampiros, Anjos, Lobisomens, Sobrenatural, Erótico
SINOPSE Andrian Mitchell não é um homem qualquer. Além de ser o mais sensual, elegante e charmoso dos seres, também é o grande líder de uma unidade de elite de Operações Especiais dos Serafins. Sua missão: controlar vampiros e licanos. Mas o seu encontro, depois de quase duzentos anos, com a alma da mulher que ama, no corpo da bela Lindsay, os leva a uma proibida paixão que poderá colocar tudo a perder.


>>> OUTROS LINKS <<<

PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“’Phineas está morto’.”

RESENHA<<<
Eu já conhecia a escrita da autora da série Crossfire, e esse sendo uma série de vampiros com a pegada hot, pensei que não poderia errar, ia se manter no que já conhecia e teríamos um mortal se apaixonando por um vampiro, é super clichê? Sim! Por isso mesmo a chance de errar era nula...ledo engano.

Quando um hot é tão fraco e chato, fica difícil continuar ler algo, ainda mais quando seu enredo é enrolado e chato, personagens sem sex appeal e que enrolam mais do que menininhas inocentes fica difícil de aturar em livro que tem um público voltado para cima dos 20 e poucos anos.

A autora quis buscar algo meio fantasia urbana, um mulher jovem que se envolve no mundo sobrenatural, o tema escolhido é vampiro, só que a autora resolveu puxar uma coisa seguindo uma ideia da Bíblia, anjos caídos que por terem se apaixonado pelos mortais há eras foram punidos e os anjos não deixaram a Terra e lutam contra seus ex-irmãos. Lindsay é a jovem que vai entrar no meio disso, mas ela não é uma jovem qualquer.

Lindsay era um personagem que tinha tudo para ser bom, ela é forte, não parece ter muitos mimimis e o segredo que guarda não tem nada a ver com o que geralmente a onda hot gosta de levantar, algum trauma ligado com sexo. Na verdade ela gosta de sexo e principalmente do sem compromisso, seguindo uma onda diferente do que tem por aí. Mitchell é o cara que deveria ser tudo de bom, mas sinceramente? Pouco apareceu no livro, achei que Elijah ganha muito mais destaque e tem o que deveria ter no protagonista. Mas eles não têm essa ideia romântica, então nada de rolar um triangulo ou algo assim.

Acontece que há muita indecisão de que linha seguir, vampiros, com anjos e com lobisomens pode ser interessante se seu enredo tiver espaço para isso, mas aqui claramente não tinha, aí a gente se sente jogado de um assunto para outro e alguns não fecham a ideia que começaram. Nadamos, nadamos e morremos na praia.

A escrita dela foi bem chata e enrolada do que na outra série. Nem parecia que era a mesma autora, além do enredo que faltava alguma coisa, ele não estava bem trabalhado, era como chegar em uma barreira toda hora, aos poucos a gente só se cansa e acaba deixando de lado.

Para finalizar, só para deixar a reclamação de como aspas no lugar de travessão é um porre. O livro já é monótono, aí não tem espaço, parada. As aspas continuam e tem horas que a gente se perde com as falas. Eram pensamentos? Não deveria ter pulado linha? Enfim, vamos usar o travessão, muito melhor.

Quer saber dos venenos do blog? Acompanhe as redes sociais<<<