POISON BOOKS - Beemote (Scott Westerfeld)

Em 11 dezembro 2013
Autor: Scott Westerfeld
Tradutor: André Gordirro
Editora: Galera Record
Publicação: 2013
Páginas: 429
Capítulos: 43
Série: Sim, livro 2 (série Leviatã)
Temas: Jovem-Adulto, Steampunk, Guerra, História
SINOPSE Uma arma secreta guardada a sete chaves, o beemote e a mais feroz criatura da Marinha Real. Sua poderosa mandibula traz o Armagedom para as embarcações inimigas e promete dar um novo rumo ao conflito entre darwinistas ingleses e mekanistas alemães que varre a Europa após o assassinato do arquiduque Ferdinando. A missão do monstro subaquático o aguarda no Bósforo, aos pés de um Constantinopla sob a influência dos alemães e as portas de uma guerra civil. Mas para ser bem sucedida, a participação da baleia-zepelin Leviatã é imprescindível. A bordo da aeronave Aleksander e Deryn Sharp continuam a colaborar um com o outro, mesmo defendendo lados opostos e escondendo segredos. Deryn, é na verdade, uma menina se passando por um aviador das forças britânicas, enquanto Alek é o herdeiro legítimo do Império Austro-Hungaro. No entanto, é cada vez mais difícil para ambos conciliarem seus sentimentos pessoais das obrigações patrióticas e acabam se separando de uma forma dramática. Em território inimigo, Deryn luta para manter intacto o segredo de sua sexualidade, e Alek conquista aliados inusitados na luta para conquistar seu direito de nascença.


>>> OUTROS LINKS <<<

PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“Alek ergueu a espada.”

RESENHA<<<
Continuação do livro Leviatã, para conhecer os venenos do livro anterior, clique aqui.

Estava morrendo por esse livro e não me decepcionei. Adorei voltar aos combates entre mekanistas e os darwinistas e claro, tudo sobre os acontecimentos da Primeira Guerra Mundial. A situação ficou ainda mais perigosa para Alek e todos a bordo do Leviatã, mas a gente meio que já sabia disso quando embarcamos na aventura.

Uma coisa que me deixa feliz com o Scott é que a gente não fica perdido no começo dos livros dele como acontece em alguns outros, por não ter muitos personagens, ele precisa fazer uma história bem amarrada e logo no início ele já coloca um ‘resumo’ dos acontecimentos anteriores, tudo muito simples e rápido, ás vezes não é nem um capítulo, são alguns momentos ou informações e voilà, você já tem a história de volta na cabeça. Isso é ótimo principalmente para nós que lemos muitas coisas entre um livro e outro.

A história teve aventura no ponto certo, fala de intriga e conspirações, fala da guerra – um tema que não sou muito fã, mas ele explora de uma maneira que nos faz querer mais e mais. Ele fala das batalhas, mas não narra detalhes chatos e tediosos, então você sabe que está acontecendo coisas mas não a lista das ordens de todos os soldados.

O foco ficou muito em Alek e Deryn, o que já tinha acontecido no outro livro, mas aqui a coisa ficou mais forte. Alek é um herdeiro, mas sempre teve acostumado a todos darem tudo. E esse livro mostra um crescimento do personagem, ele precisa tomar decisões (nem todas são brilhantes), e erra e troca as coisas e às vezes acerta. Ele está virando um rapaz. Gostei de ver o crescimento dele. Já Derynprova que as aparências engam e que segredos podem ser perigosos, e o dele é algo que vai abalar alguns personagens quando for contado.

O mundo recontado pelo ponto de vista mekanista e darwinista é maravilhoso, imaginei todas as máquinas e monstros, os loucos, os da mitologia e até aqueles estranhos que a imaginação não faz jus, e olhar as ilustrações ajuda ainda mais a ambientar a história, realmente é um mundo a parte. É como entrar em uma maquina do tempo e ver coisas diferentes na historia.

O final deu muito pano para manga e já imaginei mil coisas, ainda não sei exatamente o que o autor vai explorar, pois há muitos caminhos, mas o principal será o destino de Alek, afinal a família dele é a pivô da guerra e ele pode está ‘em segurança’ no Leviatã, mas o mundo inteiro está atrás dele.

Quer saber dos venenos do blog? Acompanhe as redes sociais<<<