POISON BOOKS - Mago Aprendiz (Raymond E. Feist)

Autor: Raymond E. feist
Tradutor: Cristina Correia
Editora: Saída de Emergência
Publicação: 2013
Páginas: 410
Capítulos: 18
Série: Sim, livro 1 (série Mago)
Temas: Aventura, Jovem-Adulto, Fantasia
SINOPSE Na fronteira do Reino das Ilhas existe uma vila tranquila chamada Crydee. É lá que vive Pug, um órfão franzino que sonha ser um guerreiro destemido ao serviço do rei. Mas a vida dá voltas e Pug acaba se tornando aprendiz do misterioso mago Kulgan. Nesse dia, o destino de dois mundos altera-se para sempre. Com sua coragem, Pug conquista um lugar na corte e no coração de uma princesa, mas subitamente a paz do reino é desfeita por misteriosos inimigos que devastam cidade após cidade. Ele, então, é arrastado para o conflito e, sem saber, inicia uma odisseia pelo desconhecido: terá de dominar os poderes inimagináveis de uma nova e estranha forma de magia… ou morrer. Mago é uma aventura sem igual, uma viagem por reinos distantes e ilhas misteriosas, onde conhecemos culturas exóticas, aprendemos a amar e descobrimos o verdadeiro valor da amizade. E, no fim, tudo será decidido na derradeira batalha entre as forças da Ordem e do Caos


>>> OUTROS LINKS <<<

PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“A tempestade cessara.”

RESENHA<<<
Um mundo fantástico, personagens um pouco intrigantes e muita variação de humor, indo do 'estou amando tanto' ao 'Meu Deus como isso é a cópia de Senhor dos Anéis e estou revoltada'. Ok, às vezes sou dramática...rs

Comecei o livro amando porque os personagens no início tem na faixa de 13/14 anos e me lembrou muito a série Rangers, a qual tenho um carinho todo especial. Porém com o passar das páginas, ela acabou ficando tão parecida com das, inclusive algumas cenas são exatamente as mesmas, só não são com os mesmos personagens – não falo de nomes e sim da classe dos mesmos, pois nesse mundo fantástico, também há magos, anões, elfos e afins.

O livro começa bacana contando a vida de um pequeno reino, mas após um tempo ele fica muito tempo descrevendo cenas e cenas de batalhas, e com essas cenas quero dizer sobre os muitos momentos descrevendo detalhes de estratégia e como atacar ou defender lugares.

Não sou exatamente uma fã de livros de guerra, ou onde o foco seja mais a estratégia da guerra e o que anda acontecendo do que o contexto do porque está em guerra e seus personagens. E essa situação se estende praticamente dois terços do livro e acabou me desanimando. Até porque achei muita viagem essa coisa de invasão de outro mundo, não combinou - um mundo intrigante com invasão de outro mundo (estilo aliens?!).

Falando em enredo, o autor curte enrolar bastante, não desmereço falar mais detalhadamente sobre alguns lugares e até pessoas, mas tem momentos que a gente percebe que está se tornando mais do mesmo e se repetindo, e senti isso em vários momentos. Dava para enxugar algumas coisas e talvez deixar a história mais leve.

Tive uma sensação estranha ao ler o livro, como se algumas palavras não tivesse sido trazidas para o português (só para constar, a editora é portuguesa), aí fiquei com a sensação de que essas palavras não são usadas por aqui e poderia ter tido um melhor pente fino, afinal apesar de a língua ser a mesma, sabemos que algumas palavras podem confundir ou terem significados diferentes.

Apesar de não ter curtido essa vibe guerra, eu gostei muito dos personagens, como eles evoluem, mudam de acordo com o que anda vivendo e suas condições, não apenas sua classe social, mas com o que vai acontecendo. No início curti muito Pug e odiei a princesa (menina mala), mas quando ela vai ficando mais velha, deu uma peninha... O mesmo vale para os outros personagens, por isso espero que no próximo livro se foquem mais neles e essa coisa de estratégia fique um pouco de lado.

Ahhh, o livro é narrado durante algum tempo, Pug começa o livro na faixa de 13/14 anos e se passam um bom tempo, praticamente terminando este primeiro livro como um rapaz na faixa de 18/19 anos.

Quer saber dos venenos do blog? Acompanhe as redes sociais<<<

Share:

0 comentários