POISON BOOKS - A Outra Vida (Susanne Winnacker)

Em 21 outubro 2013
Autor: Susanne Winnacker
Tradutor: Shirley Gomes
Editora: Seguinte
Publicação: 2013
Páginas: 268
Capítulos: 16
Série: Sim, livro 1 (série Weepers)
Temas: Jovem-Adulto, Comportamento, Zumbis, Distopia
SINOPSE O mundo de Sherry — de uma hora para outra — mudou completamente. Por causa de um vírus muito contagioso, as pessoas que ela costumava conhecer, e quase todas as pessoas de sua cidade, Los Angeles, na Califórnia, se transformaram em mutantes assustadores. Esses mutantes têm uma força excessiva, são ágeis, o corpo é coberto de pelos, eles lacrimejam um líquido imundo e… comem gente! Portanto, não há muito o que fazer — talvez tentar fugir — quando se encontra algum deles. A não ser que você tenha ao seu lado a força e a determinação de um jovem como Joshua. Joshua perdeu uma irmã para os mutantes e sua raiva é tão grande que ele seria capaz de vingar todos aqueles que perderam alguém para as criaturas. No entanto, para que esta revanche aconteça, é preciso prudência. Afinal, até que ponto a disseminação deste vírus foi uma coisa realmente natural? Que poderosos interesses estão por trás desta devastação? E será que Joshua e Sherry conseguirão ter a cautela necessária para lutar contra as criaturas justo agora que seus corações estão agitados pelo começo de uma paixão?


>>> OUTROS LINKS <<<

PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“Três anos, um mês e seis dias se passaram desde a última vez que vi a luz do dia.”

RESENHA<<<
Por onde começo essa resenha?
Falando da capa? Que assim que vi quis morrer e fiquei me perguntando quem poderia ter aprovado uma coisa dessas? Não sei se vocês já viram a versão americana, mas dá de 1000 a zero na nossa. Ou posso falar da história, sua pegada meio The Walking Dead (versão pobre) e a escrita/tradução que estava de forma bizarra. Em uma ‘Outra Vida’ não teria lido isso.

A história é fraca e rasa, personagens mal construídos, ambientes contados ao acaso e o pior, quando você escreve cenas de tensão que mais parecem que os personagens estão dando um passeio no parque do que tendo descargas e mais descargas de adrenalina e isso não está no texto, tem algo errado, muito errado.

A personagem principal é irritante, além de muito tapada. Para alguém que sabe de tudo um pouco (e logo não sabe de nada), em algumas cenas parecia que a menina ao invés de 16 anos tinha a idade da irmãzinha de seis anos, acho que se fosse uma criança eu até entenderia alguns momentos. Outra coisa que irritava e dificultava a narrativa foi toda hora a tal contagem dos dias - há 3425 dias eu não comia uma fruta, há 385635 dias eu não via um pássaro e por aí vai. Nos primeiros momentos é boa para termos uma noção de quanto tempo ela ficou presa, se bem que ninguém fica contando em dias e sim por anos, mas beleza. Mas ler em uma página isso quatro ou cinco vezes não dá para ser legal e começa a irritar.

O livro em si deveria ter muita adrenalina, coisa de sobrevivência, correr, matar, ficar ligado em como sair vivo dos tais chorões (uma mistura de zumbi com pessoas chorando e até agora ninguém sabe se é ou não o bom e velho zumbi 'melhorado'). Mas essas cenas tinham tudo menos emoção. Você até entendia que a cena era para você ficar angustiado, ou com medo, ou pensar 'corre que vai dar tudo errado', mas infelizmente a escrita da autora não chegou nem perto desses sentimentos. Nas cenas de mais ação, os personagens pareciam estáticos e que estavam sem cérebros. Já disse e repito, em qualquer situação que a gente precise lutar pela vida a gente vai fazer isso, por mais que nunca tenha matado nada, entre eu e qualquer coisa, meu instinto de sobrevivência vai aflorar. É a premissa básica para esse tipo de livro, mas os autores tendem a esquecer disso.

Fecho essa resenha falando da escrita/tradução. Não consegui identificar se os dois tiveram problemas juntos ou foi uma coisa ou outra. A narrativa da autora, além de não fluir bem, ela escreveu de forma travada. Sabe quando você está aprendendo a língua e não consegue elaborar as frases? Você fala/escreve tudo com frases curtas e simples? O livro inteiro é assim. Aí não sei se foi uma coisa da tradução ou se a autora já escreveu assim no original. O fato é que isso deixou a história ainda mais boba.

Quer saber dos venenos do blog? Acompanhe as redes sociais<<<