POISON BOOKS - Métrica (Colleen Hoover)

Em 24 julho 2013
Autor: Colleen Hoover
Tradutor: Priscila Catão
Editora: Galera Record
Publicação: 2013
Páginas: 300
Capítulos: 21
Série: Sim, livro 1 (série Métrica)
Temas: Romance, Jovem-Adulto, Relacionamento
SINOPSE O romance de estreia de Colleen Hoover, autora que viria a figurar na lista de best sellers do New York Times, apresenta uma família devastada por uma morte repentina. Após a perda inesperada do pai, Layken, de 18 anos, é obrigada a ser o suporte tanto da mãe quanto do irmão mais novo. Por fora, ela parece resiliente e tenaz; por dentro, entretanto, está perdendo as esperanças. Um rapaz transforma tudo isso: o vizinho de 21 anos, que se identifica com a realidade de Layken e parece entendê-la como ninguém. A atração entre os dois é inevitável, mas talvez o destino não esteja pronto para aceitar esse amor. 


>>> OUTROS LINKS <<<

PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“Kel e eu guardamos as duas últimas caixas no caminhão de mudança da U-haul.”

RESENHA<<<
Vou começar falando da capa e tentando fazer uma relação - nome x capa x tradução - em inglês o livro se chama Slammed, que para quem não sabe (eu também não sabia) Slam é um 'jogo', onde você declama uma poesia no palco e será julgado de acordo com as palavras contidas e se conseguiu passar a emoção contida no poema. Por isso depois que eu terminei de ler fiquei encucada com essa chave na capa e a tradução. Tudo bem que métrica está ligada à poesia, mas a capa + sinopse às vezes promete algo que pode não estar no livro e isso também vale para a sinopse.

A história de Métrica não foi sensacional, mas teve seus momentos, ela fala de crescimento e saber lidar com alguma situações, entre elas a pior é perder um ente querido, ainda mais quando esse ente querido é um pai ou mãe, ou alguém que nos criou. É difícil superar e aceitar qualquer perda, mas a autora quis mostrar em suas páginas que é possível minimizar e que a vida continua, mesmo que você não queria. Essa foi a grande lição e achei bacana a forma como ela abordou.

Os personagens não seguem o padrão das histórias Jovem-Adulto (apesar de ser classificado como Novo Adulto por alguns, para mim ela é JA). Isso foi um pequeno oásis no meio de tanta mesmice, mas o que pecou foi o fato de ter continuação. Quando fui ler a sinopse do próximo, tudo que achei bacana e leve por parte da autora vai cair por terra e com certeza voltaremos aos mimimis que não tivemos por aqui.

Falando da história e do slam, com certeza é o ponto forte do livro. Quando os personagens estão no palco ou lendo suas poesias e sentimentos de modo tão profundo e tocante. Toda vez que as poesias entravam em cena, me faziam chorar, todas são absolutamente lindas, inteligentes e fortes. Confesso que se não tivesse isso o livro seria bem fraquinho, mas as poesias elevaram os sentimentos e o que ela queria explicar, mas ou a autora estava muito inspirada na hora de escrever ou alguém escreveu para ela, pois a discrepância com o resto da história é grande.

Não é um livro com muitos personagens, mas de todos eles, a amiga da protagonista – Angie tem um destaque sensacional e para mim chegou a brilhar mais do que a protagonista. Ela é do tipo que mesmo com tudo dando errado, consegue ver uma luz no fim do túnel? A protagonista às vezes tem umas coisas meio mimadas que irritam, quer tudo do jeito dela.

De modo geral, aconselho a leitura, é um livro bem lindinho e fala de coisas bacanas, para pensar, a melhor parte são as poesias, lindas toda via. Estou com 'medinho' do próximo livro, mas vou deixar para comentar mais quando ele chegar por aqui.

Na avaliação do blog, o livro seria 3,5. Por isso mantive tóxico.

Quer saber dos venenos do blog? Acompanhe as redes sociais<<<