POISON BOOKS - A Livraria 24 horas do Mr. Penumbra (Robin Sloan)

Autor: Robin Sloan
Tradutor: Edmundo Barreiros
Editora: Novo Conceito
Publicação: 2013
Páginas: 288
Capítulos: --
Série: Não
Temas: Adulto, Romance, Ficação
SINOPSE A recessão econômica obriga Clay Jannon, um web-designer desempregado, a aceitar trabalho em uma livraria 24 horas. A livraria do Mr. Penumbra — um homenzinho estranho com cara de gnomo. Tão singular quanto seu proprietário é a livraria onde só um pequeno grupo de clientes aparece. E sempre que aparece é para se enfurnar, junto do proprietário, nos cantos mais obscuros da loja, e apreciar um misterioso conjunto de livros a que Clay Jannon foi proibido de ler. Mas Jannon é curioso…


>>> OUTROS LINKS <<<

PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“Perdido nas sombras das estantes, quase caio da escada.”

RESENHA<<<
Esse livro tem o que todo leitor compulsivo adora - uma LIVRARIA! Mas essa livraria não é uma qualquer e até chegar à ela o protagonista nos conta que nem era tão fã de livros assim. O livro começa falando de assuntos nada a ver, na verdade trata de algo atual, o desemprego pelo mundo afora, principalmente nos EUA, depois daquela grave crise de 2008 e por causa disso, ele perdeu o emprego e meio que ficou atoa na vida.

O protagonista é designer, trabalha com imagens, letras, tipografias, internet e afins, coisas que todos nós sabemos (mesmo que seja por alto), mas a grande questão é o que tudo isso tem a ver com a livraria? Tudo e nada. Tudo porque praticamente 70% da história se passa em momentos que tenham a ver com ela e nada porque apesar de não estar fisicamente dentro da livraria, o mistério que ela envolve foi bem interessante.

Estava animada para ler e não me arrependi. no início não conseguia ver a ligação com tantas coisas externas e o tal mistério, mas aos poucos percebemos que essa ligação externa faz o protagonista ser cheio dos conhecimentos e se lançar em algo a mais, logo ele que nunca foi dado a essas coisas.

Não quero contar o mistério porque isso vai estragar todo o livro, quando descobri, fiquei pensando, isso está quase escancarado na sinopse, mas não consegue ver e o fato da tal 'aventura' se passar em um lugar que conhecemos, falando de coisas que conhecemos, foi o real e bacana. Não se passa em algo em outro mundo ou coisas assim.

No início a gente meio que não curte o protagonista, ele parece ser daquele tipo de pessoa que me irrita, aquela que não faz nada (nem para se ajudar e nem para os outros), fiquei me perguntando filho quando você vai se mexer? Mas depois percebi que se ele fosse muito afoito a coisa iria a um ritmo surreal que não era a proposta.

Confesso que para o final do livro eu esperava algo mais, mas depois que fechei o livro e fiquei digerindo toda a história e tudo que já li, percebi que o autor fez um final condizente com o que foi apresentado. Claro que esperamos um final digno de Hollywood, mas aqui a coisa foi pé no chão e respondeu à todas (quase) as dúvidas que poderiam ter ficado. Lógico que ainda sobrou um espeço para imaginação... o famoso "E se".

Os outros personagens são interessantes, mas não ganharam tanto destaque, na verdade eles ganham destaques momentâneos, quando eles têm o conhecimento que o protagonista não tem ou nem imagina que isso exista e isso que fez a diferença, o conhecimento era algo que qualquer um pode ter. Não precisava ser um gênio ou algo a mais.

O livro é bem simples, mas isso que foi o diferencial. Você perceber que não precisa ter histórias mirabolantes com um milhão de livros na série para ser bacana. Aqui tudo acontece em um bom ritmo e a simplicidade com certeza ajuda. 

Leia sem compromisso, só com a ideia de ser um livro que se passa dentro de uma livraria com um algo a mais, aí sim, você vai curtir.

Quer saber dos venenos do blog? Acompanhe as redes sociais<<<

Share:

0 comentários