BOOKS || A probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista (Jennifer E. Smith)

Autor: Jennifer E. Smith
Tradutor: Camila Mello
Editora: Galera Record
Série: Não
Temas: Viagens, Romance, Jovem-Adulto
Com uma certa atmosfera de Um dia, mas voltado para o público jovem adulto, A probabilidade estatística do amor à primeira vista é uma história romântica, capaz de conquistar fãs de todas as idades. Quem imaginaria que quatro minutos poderiam mudar a vida de alguém? Mas é exatamente o que acontece com Hadley. Presa no aeroporto em Nova York, esperando outro voo depois de perder o seu, ela conhece Oliver. Um britânico fofo, que se senta a seu lado na viagem para Londres. Enquanto conversam sobre tudo, eles provam que o tempo é, sim, muito, muito relativo. Passada em apenas 24 horas, a história de Oliver e Hadley mostra que o amor, diferentemente das bagagens, jamais se extravia.
PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“Aeroportos são verdadeiras câmaras de tortura quando se tem claustrofobia.”

RESENHA<<<
O nome do livro é enorme, a capa é fofa e todo mundo com certeza está batendo nos tal quatro minutos de atraso da protagonista. Mas ‘A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista’ é mais do que isso... na verdade os tal quatro minutos é uma justificativa para história que será contada.

A história é narrada em terceira pessoa e eu gosto muito quando é assim, adoro a sensação de sermos ‘o olho que tudo vê’ e aqui a autora soube colocar não apenas o tenso momento do voo e seu destino final, mas os problemas que ocorreram para chegar na atual situação e ela conseguiu fazer isso de uma forma mágica e sem ser chata.

A protagonista Hadley a principio parece ser uma menina chatinha cheia de ‘não me toque’, mas ela está arrasada e meio P da vida por participar de um casamento, onde ela não conhece a noiva – a sua nova madrasta. Mas a mãe em toda sua sabedoria diz que ela deve perdoar o pai e seguir em frente e é isso que o livro mostra os sentimentos contraditórios da protagonista, ela quer odiar o pai, por ele ter abandonado à mãe, mas é o pai dela. E se a mãe (que foi traída) conseguiu, porque ela não pode?

Do outro lado temos Oliver, o jovem britânico que pega o próximo voo com ela, ele também está indo encontrar a família, mas a situação é bem diferente e quando Hadley descobrir os motivos é que sua ficha vai cair e ela vai entender melhor sobre a vida, o universo e tudo mais [piadinha =P].

O livro é fininho, mas a história é intensa, não temos momentos de tédio ou leitura arrastada, a autora soube dosear seus personagens, seus momentos e mostrar o que todos nós somos – pessoas que ora ri, ora chora, ora fica com raiva, ora fica querendo abraçar o mundo. Somos essa mistura e é difícil um livro que não tem nada de sobrenatural ter isso. Mas aqui temos e tudo na medida certa.

Como disse lá em cima, os tais quatro minutos eram a deixa para eles se encontrarem e aí sim um contribuir com o outro, ampliar o modo de ver as coisas, abrir a mente. Talvez na história isso tenha sido mais função de Oliver do que de Hadley, mas de modo geral, a moral da história também se aplica a nós. Às vezes será que não vale sair da caixinha e entender todos os lados? Uma vez me disseram que há três lados em uma história – o da pessoa A, da pessoa B e o que as pessoas A e B passavam juntas.

Eu nunca dou muita atenção aso comentários na contra capa do livro, mas as três frases existentes descrevem com perfeição e precisão o que este livro foi.

PS: Nossa capa é muito mais linda que a americana. A do ebook italiano também é fofa.
Para conhecer, clique lá no link do Goodreaders e veja em outras edições.


E tem também um vídeo onde falo mais do livro, explicando algumas coisas com mais detalhes e informações, afinal, falar de um livro é diferente de resenha-lo, tudo é mais emocional, mais passional, mais tudo... é como se a relação com o livro fosse muito maior.

Aproveitem esses 15/20 minutos a mais sobre ‘A PROBABILIDADE ESTATÍSTICA DO AMOR À PRIMEIRA VISTA’ depois me digam o que acharam do vídeo e claro, dá série 😉

Share:

0 comentários