POISON BOOKS - Extraordinário (R. J. Palacio)

Em 08 março 2013
Autor: R. J. Palacio
Tradutor: Rachel Agavino
Editora: Intrínseca
Publicação: 2013
Páginas: 313
Capítulos: --
Série: Não
Temas: Infanto-juvenil, Relacionamento
SINOPSE August Pullman, o Auggie, nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso ele nunca frequentou uma escola de verdade... até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros. Narrado da perspectiva de Auggie e também de seus familiares e amigos, com momentos comoventes e outros descontraídos, Extraordinário consegue captar o impacto que um menino pode causar na vida e no comportamento de todos, família, amigos e comunidade - um impacto forte, comovente e, sem dúvida nenhuma, extraordinariamente positivo, que vai tocar todo tipo de leitor.



>>> OUTROS LINKS <<<

PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“Sei que não sou um garoto de dez anos comum.”

RESENHA<<<
Posso ser sincera? Quando esse livro começou a pipocar, eu li a sinopse, pensei ‘ah, que legal, mas não quero muito ler.’ E ia deixar para lá. Li algumas resenhas e até pensei que poderia ver o filme, mas a editora enviou um kit lindo (e se vocês forem bonzinhos, quem sabe eu não faça sorteio?!) junto com livro e acabei pensando ‘ah, o livro já está aqui que mal tem em ler?’.

Ainda bem que li, senão estaria perdendo um livro muito bonito e que muitas pessoas deveriam ler. Depois do livro não fiquei interessada em ver o filme, não por ter medo ou achar que isso vai me chocar, o meu medo é que no filme eles passem a imagem errada do que o livro passou. E comece a colocar todo mundo que não curte ou tem uma opinião diferente como vilão.

O livro mostra o ponto de vista de algumas pessoas que convivem com August e o seu próprio ponto de vista também, ele é uma criança que tem uma síndrome rara e infelizmente ela não o favorece, afinal em uma sociedade onde aparência é tudo – ela abre ou fecha portas e às vezes você ganha ou perde empregos e afins – o que acontece quando se foge do padrão?

Ele sabe que ele é diferente e como toda criança, tem horas que ele quer morrer e outras que quer enfrentar tudo e todos e o livro conta esse momento mais difícil na vida dele, quando ele entra para uma escola, pois nunca tinha estudado em uma escola na vida. Aí ele narra as aventuras e desventuras. Afinal sabemos que quando as crianças querem ser malvadas, elas conseguem – apontar, cochichar, falar mal e não ser amigo. É difícil sobreviver na escola sendo excluído.

Os outros pontos de vistas são os mais intrigantes, as pessoas contam sua reação inicial à Auggie e depois como ela mudou (ou não), mas a que mais me chamou atenção foi a de Via – a irmã mais velha dele – a menina sempre entendeu que o irmão é especial, mas confesso que deu dó ler o relato dela sendo largada pelos pais devido às dificuldades do irmão (muita gente pode falar; mas Andy, ele precisava de cuidado e ela não). Fiquei triste em ver que uma menina 4 anos mais velha se criou sozinha. E quando ela quer ser apenas ela e não vincular a imagem a ‘ela é irmã daquele garoto estranho’, ela fica se lamentando e achando que ela é malvada. Ninguém quer viver sobre a sombra de ninguém.

Mas com certeza o ponto alto vai para os preceitos do Sr. Browne, e se não podemos seguir todos, se pelo menos pudermos seguir alguns, imagino que o mundo seria um lugar muito mais bonito.

“Quando tiver que escolher entre estar certo e ser gentil, escolha ser gentil.” (Dr. Wayne W. Dyer)
“Seus feitos são seus monumento.” (Inscrições de uma tumba egípcia)
“Não tenha amigos que não estejam à sua altura.” (Confúcio)
“A sorte favorece os bravos.” (Virgílio)
“Nenhum homem é uma ilha.” (John Donne)
“É melhor saber algumas perguntas do que todas as respostas.” (James Thurber)
“Palavras gentis não custam muito, e ainda assim conquistam muito.” (Blaise Pascal)
“O que é belo é bom, e o que é bom em breve será belo.” (Safo)

Pág 311/312

O livro trouxe uma mensagem muito bonita, poucos livros fizeram isso em minha opinião, a maioria é capaz de nos levar para lugares mágicos e nos fazem sonhar acordado, mas este vale pela lição de vida e que pequenas ações, pequenos preceitos, quando seguidos nos transformam e também o mundo.

Quer saber dos venenos do blog? Acompanhe as redes sociais<<<