POISON BOOKS - Os Deixados Para Trás (Tom Perrotta)

Autor: Tom Perrotta
Tradutor: Rubens Figueiredo
Editora: Intrínseca
Publicação: 2012
Páginas: 317
Capítulos: --
Série: Não
Temas: Adulto, Distopia
SINOPSE - O que aconteceria se, de repente, sem nenhuma explicação, pessoas simplesmente desaparecessem, sumissem no ar? É o que os perplexos moradores de Mapleton, que perderam muitos vizinhos, amigos e companheiros no evento conhecido como Partida Repentina, precisam descobrir. Desde o ocorrido nada mais está do mesmo jeito — nem casamentos, nem amizades, nem mesmo o relacionamento entre pais e filhos. O prefeito da cidade, Kevin Garvey, quer acelerar o processo de cura, trazer um sentimento de esperanças renovadas e propósito para sua comunidade traumatizada. Ainda que sua família tenha sido desfeita com o desastre: sua esposa o deixou para se juntar a um culto cujos membros fazem voto de silêncio; seu filho, Tom, abandonou a faculdade para seguir um profeta duvidoso chamado Santo Wayne; e sua filha adolescente, Jill, não é mais a dócil estudante nota dez que costumava ser. Em meio a tudo isso, Kevin ainda se vê envolvido com Nora Durst, uma mulher que perdeu toda a sua família no 14 de Outubro e continua chocada com a tragédia, apesar de se esforçar para seguir adiante e recomeçar a vida. Com emoção, inteligência e uma rara habilidade para enfatizar os problemas inerentes à vida comum, Tom Perrotta escreve um romance impressionante e provocativo sobre amor, conexão e perda.


>>> OUTROS LINKS <<<

PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“Era um belo dia para um desfile, ensolarado e com um calor suave, o céu era um retrato do paraíso, como os desenhos que se veem nas aulas de catecismo das escolas dominicais.”

RESENHA<<<
Infelizmente este livro se junta à uma pequena lista dos livros que abandonei, sim fico chateada quando isso acontece, mas também não vejo o motivo de ler 300 páginas sabendo que não estou gostando. Sendo assim vou contar o que me fez desistir do livro até onde li, não sei se depois da página 58 a ideia melhora. Mas foi máximo que consegui chegar.

Amei a sinopse e estava em uma vibe que era de distopia. E como leio um pouco de tudo, não me importei em ser um adulto, mas o que realmente me fez desistir praticamente desde as primeiras foi a narrativa do autor, ela consiste em uma mistura de pregação com explicações da visão dele sobre o apocalipse. Nada contra a nenhuma religião, mas quando alguém tenta me converter ou acha que eu não sou capaz de entender o que o texto/ideia está querendo passar corre o grande risco do livro/filme/série ser abandonado.

A narrativa é chata! Simples assim. Não consegui me agarrar e afeiçoar por nenhum personagem. E olha que os capítulos são curtos (média de 2/3 páginas), mas a mistura da narrativa entediante e as explicações bíblicas de modo a querer que todos se sintam pecadores não rolou comigo. E aos poucos se já não estava curtindo o livro, ao virar as páginas quase começava a odiá-lo.

Não pensem que eu não curto distopias e esse possa ser um dos motivos, não, gosto bastante do tema e até já lendo demais sobre ele posso apostar que o autor teve uma boa ideia, mas a meu ver não conseguiu colocar no papel. Como sempre digo, às vezes o livro nem é lá essas coisas, mas o jeito de contar a história nos prende.

Meu conselho é para que tentem em alguma troca ou peçam emprestados. E caso comprem, espere uma liquidação. Eu que sou eclética nem curti, quem geralmente só gosta de um ou dois tipos de livros e temática pode ser que nem passe das primeiras páginas.

PS: Eu super curti a capa, também foi um dos motivos que quis ler o livro.

Quer saber dos venenos do blog? Acompanhe as redes sociais<<<
FORMSPRING || TWITTER || FEED || FACEBOOK || YOUTUBE || TUMBLR || CONTATO 

Share:

0 comentários