POISON BOOKS - Elliot Allagash [Diário de um ex-perdedor] (Simon Rich)

Em 22 novembro 2012
Autor: Simon Rich
Tradutor: Marcelo Barbão
Editora: Planeta
Publicação: 2012
Páginas: 214
Capítulos: -
Série: Não
Temas: Jovem-Adulto, Comportamento
SINOPSE - Seymour Herson é um garoto tímido que é alvo de chacotas no colégio particular em Manhattan, onde estuda. Sua sorte muda com a entrada de um novo aluno, o rico e problemático Elliot Allagash, que já foi expulso de várias escolas. Entedidado, Allagash investe em um novo hobby; transformar Seymour no aluno mais popular do colégio, lançando mão dos mais complexos esquemas.



>>> OUTROS LINKS <<<

PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“Meus pais sempre ficaram do meu lado quando eu era criança, não importava quanto eu estivesse errado.”

RESENHA<<<
Este livro tinha tudo para ser bom, na verdade até um determinado momento ele é engraçado, inteligente e levemente sarcástico, mas aos poucos tudo que o transformou em algo bacana acabou virando algo chato e repetitivo.

Tudo mundo tem um sonho de ser popular, confessa vai... Você também quer/queria ser o mais falado, o mais badalado, o mais ‘cool’ e por aí vai. Quem não quer ser reconhecido? E se aqui no Brasil que status dentro de um colégio não é o primordial, imagina nos      ‘States’? Onde a hierarquia determina praticamente a sua vida?

Elliot é um menino rico e mimado e sempre fez o que quis, inclusive ser expulso de 14 colégios, mas quando se tem dinheiro e prestígio, isso é o de menos. Por isso na nova escola o projeto dele é transformar Seymour em alguém popular.

A ideia é boa e engraçada, como eles se conhecem e as loucas teorias de Elliot para transformar o pobre Seymour e como ele vai caindo na conversa do menino rico, mas em um determinado momento as coisas simplesmente param e começa a ser mais do mesmo, frases repetidas, os mesmos dramas e problemas e ideias loucas. Parece que ficou em um círculo vicioso e que no final a coisa ficou chata e boba.

Um dos principais motivos é quando o pai de Elliot aparece e sua louca vida começa a ser narrada. Aí a coisa desandou e ficou com aquele ar de intelectual, mas não do tipo ‘uau sou inteligente’ e sim ‘uau, sou um ‘saco’ e vou contar coisas onde tirei vantagem para mostrar que sou bom’.

Enquanto as ideias eram loucas, mas engenhosas, as coisas foram bem, mas de repente o autor pareceu querer se justificar e encher de coisas extravagantes e sem nexo que só tornaram o livro chato. Uma pena, pois ele começa bem demais!

Quer saber dos venenos do blog? Acompanhe as redes sociais<<<
FORMSPRING || TWITTER || FEED || FACEBOOK || YOUTUBE || TUMBLR || CONTATO