POISON BOOKS - Rostinho Bonito (Mary Hogan)

Em 01 outubro 2012
Autor: Mary Hogan
Tradutor: Raquel Zampil
Editora: Galera Record
Publicação: 2011
Páginas: 238
Capítulos: 42
Série: Não
Temas: Jovem-Adulto, Romance, Viagens
SINOPSE - A vida de Hayley tinha tudo para ser perfeita. Ela mora na Califórnia, a poucos metros da praia, o clima é sempre perfeito, as pessoas são legais e ela tem uma melhor amiga dos sonhos! Além de tudo, Hayley é engraçada, inteligente, amiga e tão bonita...de rosto. Tudo isso seria ótimo se não fosse por um pequeno detalhe: Hayley e a Califórnia não poderiam ser mais incompatíveis. Ela não tem nada de magrela e, sem o corpinho sarado (ainda que artificialmente) típico da região, nem pensa em chegar perto da praia. Suas qualidades, ao invés de ajudar na sedução do lindo Drew Wyler, só atrapalham. Antes que Hayley surte com a pressão de ter uma mãe irritantemente obcecada por perder peso, um amor que nunca vai passar de uma amizade - e que, além de tudo, está a fim de sua melhor amiga - e sua dificuldade em se encaixar no padrão californiano, seus pais resolvem ter a melhor ideia do mundo: mandá-la para a Itália para passar o verão! Hayley não poderia imaginar que seria lá, em um lugar onde ela precisa andar quilômetros no sol (e em ladeira!) para ter acesso a tecnologia, longe de sua melhor amiga e tudo que lhe é familiar e tendo que conviver com dois irmãos pequenos em sua nova casa, que sua vida mudaria para sempre. Aprendendo a ter uma visão completamente diferente de si mesma e do mundo, Hayley pode finalmente ser Hayley, . Lá ela não é gorda, tem curvas. A comida (quem diria!) não é sua arquiinimiga. Ter um rostinho bonito é finalmente um elogio. Mas, principalmente, lá ela não precisa ser mais uma menina de revista para achar o seu verdadeiro Drew Wyler.
 


>>> OUTROS LINKS <<<

PRIMERA FRASE DO LIVRO<<<
“Minha mãe comprou uma balança digital para mim.”

RESENHA<<<
Rostinho Bonito não foi o melhor livro que li de chick-lit jovem (e isso existe?), mas este é daqueles livros que quando você termina fica com um sorriso bobo no rosto e uma sensação boa de ter lido uma história bacana.

Hayley é uma adolecente bem comum, mas a mãe cisma que ela é gordinha (e quem as vezes não cisma com isso também?), mas tem um porém, pois ela mora na ensolarada Califórnia e ela odeia sol e esportes ao ar livre. Combinação maligna e com potencial para ficar infeliz. Por isso quando ela vai para Itália, para ficar um mês na casa da amiga da mãe, tudo muda em sua vida.

Hayley é como qualquer uma de nós (meninos também podem ser incluídos aqui), pais que perturbam, que na maioria das vezes tentam projetar em seus filhos o que eles queriam que eles fossem ou eram. Mas na Itália, precisamente na cidade de Assis, ela descobre um modo de vida diferente, pessoas diferentes e longe da internet e da tecnologia, ela começa a descobrir o outro lado da vida.

O livro narra as aventuras da menina por lá, as pessoas que conhece, sua relação com essa família que é amiga da mãe dela, mas ela nunca viu ninguém e percebe que a mãe também sempre desejou para ela coisas que Hayley talvez nunca pudesse cumprir, coisas que a mãe dela queria para ela, ela acabou jogando na Hayley. Mas o momento mais cute é quando ela encontra o italianinho fofo – Enzo.

“–  Como é viver em um país tão cheio de História? – pergunto.
–  Triste – responde ele. – O Mundo inteiro vem visitar, mas ninguém fica.”
Página 200

Apesar deste não ser daqueles livros de história arrebatadora, a frase acima ficou tão entranhada dentro de mim que fiquei pensando que no fundo todos nós somos um pouco como países cheios de história, mas não diria que ninguém fica, apenas poucas pessoas. A maioria só vem nos visitar.

É uma leitura bem rápida e divertida. É bom para aqueles momentos que você leu bastante um mesmo gênero e quer algo bacana, aí você pega ele e vai se sentir mais leve e com o sorriso bobo no rosto ;)


Quer saber dos venenos do blog? Acompanhe as redes sociais<<<
FORMSPRING || TWITTER || FEED || FACEBOOK || YOUTUBE || TUMBLR || CONTATO