POISON QUICKS - Fala Aí #1


Mais uma coluna nova no blog!!! E como a blogosfera tem muitos blogs legais por aí e mil opiniões diversas, nessa coluna eu serei um pouquinho ‘má’ e sempre estarei fazendo perguntinhas bacanas sobre livros, preços e tudo que está ligado a esse mundo que amamos ;)

Conheçam meus convidados desse mês – um pouquinho deles e seus blogs e claro suas opiniões!!!

Convidados dessa coluna!!
Vanessa Tourinho – Paraíso em Papel
Lis Volpe – Batalha Literária
Alexandre José – BookaholicBoy


PRIMEIRA PARTE – Conhecendo o Blogueiro/Blog

1 – SE APRESENTE:
Me chamo Vanessa Tourinho, sou estudante e vivo em Belém. Criei meu blog há poucos mais de seis meses, quando percebi que meu querer escrever sobre livros estava exigindo mais espaço.

Bom, eu sou péssima em apresentações, mas vamos lá...
Eu sou a Lis, moro em Marília-SP, tenho 21 anos e estou cursando o 4º ano de Direito, e incrivelmente apaixonada pelo curso, apesar de viver reclamando da falta de tempo que ele me proporciona. Trabalho com a área sindical desde os 16 anos, e por incrível que possa parecer (para quem não conhece) é um trabalho gratificante. Participo do movimento estudantil em minha cidade e da coordenação atual da UBM aqui. E, claro, apaixonada por livros.

Olá, meu nome é Alexandre, tenho 18 anos, meu blog é o Bookaholic Boy. Considero-me uma pessoa divertida, simpática e sempre disposto a ajudar! Mais o menos isso! rs

2 – QUAL O ASPECTO MAIS GRATIFICANTE DE BLOGAR?
O mais gratificante de blogar, para mim, sem dúvida, está sendo as amizades que venho adquirindo. Conhecer pessoas é sempre bom, e o carinho, o respeito e atenção que esses amigos me oferecem torna o ato de blogar mais divertido.

Nossa eu vejo tanto ponto positivo em blogar, mas creio que o mais lindo de todos é a amizade que a gente constrói com pessoas que infelizmente não conhecemos pessoalmente, minhas grandes amigas hoje com certeza, são as que eu conheci através do blog.

Acho que são dois aspectos, o primeiro foi o motivo de eu criar o blog: falar sobre assuntos que eu amo e mostrar minha opinião sobre eles, e o segundo que foi surgindo é o amor ao leitor! É tão bom, gratificante, quando comentam nos seus posts e escrevem aquele comentário lindo. A, e o melhor de tudo são os leitores que te acompanham! *-*

3 - VOCÊ É INFLUENCIADO PELOS OUTROS BLOGS? CASO POSITIVO, O QUE VOCÊ LEVA EM CONTA NA HORA DE LER A OPINIÃO DE OUTRO BLOGUEIRO?
A influência de outros blogs na minha vida literária, em especial, é intensa. O que me leva a comprar o livro é uma boa sinopse, uma capa atrativa - às vezes, mas acima de tudo isso são as opiniões de outros blogueiros, principalmente aqueles por quem tenho um carinho especial. Mon Petit Poison, por exemplo é responsável por 70% dos livros que tenho em minha estante!

Sim, é uma influencia natural, quando vejo alguém elogiando muito um livro, fico louca para ler, quando vejo várias opiniões negativas, eu já descarto da minha pilha.
Eu observo se o blogueiro está sendo coerente em sua opinião. Por exemplo, se a resenha é regada a elogios e a nota final do livro é baixa tem alguma coisa errada aí. E também a escrita do blogueiro, caso seja uma avalanche de erros, eu meio que desacredito da resenha, dá a impressão de resenha mal feita, então não passa credibilidade sobre o que ele está falando.

Depende, acho que influenciado é muito forte. Mais há blogs que eu sigo que gostam das mesmas coisas que eu, então quando falam "esse livro é maravilhoso" ou "esse livro é horrível" eu levo em consideração a opinião deles.

4 – SEU BLOG ESTÁ DO JEITO QUE VOCÊ IMAGINOU ANTES DE CRIAR? (Postagens, Layout e afins)
Sim. Foi difícil deixá-lo como está atualmente, principalmente porque no início eu não sabia como utilizar algumas ferramentas disponibilizadas pelo blogger, mas consegui.

Está até melhor do que eu imaginava (culpa da Lilia, aquela linda). Estou no Batalha Literária desde maio do ano passado e até hoje eu não vi motivo nenhum para mudar alguma coisa nele.

SIM *-* ele ficou do jeitinho que eu queria! O layout, posts, tudo! Alguns detalhes eu ainda preciso acertar, mais no geral sim!

5 – OPINIÃO SOBRE A BLOGOSFERA (maneira geral):
Desde que eu descobri a blogosfera não faço coisas como comprar livros sem antes ler algumas resenhas. Não tenho certeza, mas, às vezes, tenho a impressão de que esse mundo dos blogs está ficando cada vez maior, mais cheio, e é comum encontrar resenhas de certos livros em cinco ou mais blogs em um único dia, por outro lado isso é bom, porque isso dá ao leitor um maior número de opiniões.

Honestamente, acho a blogosfera literária a mais simpática de todas (E podem ver que tenho razão se compararem com outros gêneros por aí). Embora sempre tenha uma ou outra pessoa ali no meio que acha que tem o rei na barriga, e outras achando que estão todos contra ela. Mas, penso eu que se for comparar essa pequena minoria com a grande maioria que são extremamente simpáticos, atenciosos, prestativos entre outras qualidades isso se torna insignificante. Já vi umas discussões por aí, mas ainda acho que são mínimas perto das qualidades citadas.
Quanto aos absurdos que ocorre quanto a plágio que vemos por aí, creio que é um problema indiretamente fora da blogosfera. Digo fora, pois a questão aí é nas pessoas que querem ingressar nela sem ter criatividade e capacidade para isso. É mais um problema de caráter de alguns casos específicos, não na blogosfera como um todo.

A blogosfera é uma vida. Há pessoas de todos os tipos, com diversas opiniões. Há pessoas boas e ruins, pessoas que a qualquer comento podem te destruir e outras que você um dia chamará de melhor amigo e sempre poderá contar com ela. Acho que é isso rs


SEGUNDA PARTE – Livros e o preço deles no Brasil

1 - O PREÇO DO LIVRO É UM ASPECTO IMPORTANTE NA HORA DA COMPRA?
Quando o livro que quero comprar faz parte de uma série que gosto muito, eu não ligo para o valor. 
Claro que eu reclamo, e noto quando está caro, mas se o livro é aquele muito desejado, o valor não me impede de comprá-lo.

Infelizmente sim. Não sou rica, e minhas despesas com faculdade, transporte e coisas particulares são por minha conta, então fica meio complicado não pesar o preço na hora da compra.

Depende! Se for o livro que eu taaaanto quero, muito esperado e desejado, acho que não levaria o preço em consideração. Mas se fosse um livro que eu não tenho tanto interesse e que sei que outro momento ele estará com um melhor preço, eu espero para poder comprar.

2 - SUA OPINIÃO SOBRE OS PREÇOS DOS LIVROS NO BRASIL:
Cá entre nós, o preço do livro no Brasil é alto, às vezes chega a ser abusivo. E acho que esse é um dos muitos motivos que faz o brasileiro não ler tanto.

Acho um absurdo. A grande maioria tem um preço muito elevado, mas infelizmente a cultura no Brasil é cara, veja o preço de uma peça de teatro, um cinema, um show, infelizmente o livro não foge disso. Dizem mundo a fora que somos um país sem cultura, ou que nossa única cultura é o carnaval. Mas não levam em consideração esses preços absurdos que temos em quase tudo.

Sinceramente, caros demais!! É incrível como você pode comprar toda a coleção do Harry Potter nos EUA (HARDCOVER e com uma diagramação maravilhosa) por um preço super em conta, enquanto com o mesmo valor aqui no Brasil você só consegue comprar os três primeiros livros. Acho isso um absurdo! 

3 - SUGESTÕES OU IDÉIAS QUE PODERIAM DIMINUIR O CUSTO DO LIVRO POR AQUI:
Acho que um dos motivos do livro no país ser tão caro é a qualidade dele em relação aos livros estrangeiros.  
Não consumo muitos livros estrangeiros, mas é notável a diferença física entre os livros daqui e os de lá. 
Alguns dos livros produzidos nos EUA têm as capas sem orelhas, as folhas internas são finas e mais escuras, e acho que isso barateia a produção. Isso poderia ser feito aqui, mas por outro lado, esse tipo de impressão deixa o livro frágil.

Acho que a primeira saída é diminuir os impostos, não sou nenhuma especialista em tributário, não sei a quantidade que gastamos com impostos na compra de livros, mas sei que realmente é alta, a carga tributária nacional é vergonhosa.
E também (aqui muitos irão discordar) acho que o pior dos problemas é o capitalismo desenfreado que existe. Sei que uma editora visa lucros, mas tem editora querendo lucro de mais em cima dos livros, tornando os preços totalmente abusivos, que chegam a assustar.

Talvez mudar o tipo de material usado para criar, contudo sem tirar a qualidade. Não fazer um trabalho mal feito. Mais sim algo melhor elaborado e com mais benefícios para nós leitores.

4 - PORQUE VOCÊ ACREDITA QUE HÁ ESSA DIFERENÇA DE PREÇO ENTRE O BRASIL E PAÍSES COMO OS EUA?
Outro fato que deixa o livro caro no Brasil, é que os mais vendidos são normalmente importados, por isso, acredito, que as editoras necessitam incluir, no custo total, o valor da compra dos direitos de publicação, por outro lado, os livros nacionais também tem custo elevado. Por isso não consigo encontrar outra diferença - além da que citei na resposta para a pergunta anterior, que faça com que haja essa diferença de preços entre os livros vendidos no EUA e no Brasil.

Na verdade eu nunca consegui entender essa diferença toda. Se pararmos para analisar não faz sentido nenhum, afinal a lógica seria a proporcionalidade da renda não é mesmo, mas o salário mínimo dos EUA, por exemplo, é de 1.200 dólares (isso é dado de 2010).
Pode ser que o mercado editorial lá seja mais competitivo além, do fato de que os impostos lá não são tão abusivos como os que temos aqui.

Não tenho certeza, mais acho que nos EUA a matéria prima usada nos livros é mais barata.

5 - SUA RELAÇÃO COM OS LIVROS (POR EX; CASO VOCÊ TENHA PAGADO CARO EM UM LIVRO CHATO, VOCÊ VENDE? TROCA? FICA COM ELE?)
Quando um livro, que me custou caro, não me agradou, normalmente troco. Se fizer parte de uma série (isso se a leitura não foi tão desagradável), costumo ficar com o livro e ler a continuação, e se ainda assim eu não gostar aí, sim, eu troco.

É muito raro eu me desfazer de um livro, normalmente fico com ele, em alguns casos eu acabo dando o livro para alguém, pois o que não me agrada pode agradar outro. Nesse quesito eu sou chata, daria o livro numa boa, mas somente para uma pessoa que realmente trate o livro como eu trato, nada de pessoas relaxadas e sem cuidado. Mesmo sabendo que o livro não será mais meu, não quero ele jogado por aí.

Olha, depende da situação. Se eu li e não gostei de jeito nenhum dele, ficar, não fico. Eu troco, dou, vendo, sei lá! Mais ficar, acho muito difícil!

__ ** __ ** __ ** __

Para quem acompanha o blog sabe que eu sempre bati na tecla de que os livros andam caros. Não pago mais do que R$25,00 em um título (talvez só na série da Diana Gabaldon), ando sempre atrás de trocas, compras em feirinhas e quando os amigos vendem.

Já quis ter uma estante gigante, mas hoje em dia ando sem espaço e também decidi que apenas os livros que eu realmente vou reler, ou que eu tenha amado farão parte dela, então, sem pena de trocar meus livros ou vende-los. Afinal o que eu posso ter amado, outra pessoa pode odiar e vice-versa, então porque manter algo que não gostei na estante?

Acredito que a relação preço x livros muda constantemente. Talvez uns 2/3 anos eu comprasse livro independente do preço na livraria, mas hoje após muitos títulos (algumas vezes com sinopses e histórias repetidas), meu impulso de pagar caro nos livros diminuiu e muito. E sem contar que eu sempre dou uma espiada nos outros blogs para saber sobre um livro, levando em conta se vale ou não a compra.

Eles também levantaram questões sobre o material do livro utilizado aqui e se o preço de livro assusta o consumidor, claro que falar de livros e os preços praticados aqui no Brasil dá pano para manga, mas convido a vocês deixarem suas opiniões sobre o tema. Qual a sua relação com os livros em relação aos preços?

Quer propor um tema? Indicar algum blog para responder? Manda email para monpetitpoison@gmail.com com assunto: Fala Aí.

Share:

0 comentários