POISON BOOKS - Os Magos (Lev Grossman)


Autor: Lev Grossman
Tradutor: Otávio Albuquerque
Editora: Amarilys
Publicação: 2010
Páginas: 455
Capítulos: --
Série: Sim, livro 1 (Os Magos)
Temas: Jovem-Adulto, Magia
SINOPSE - Quentin Coldwater é um gênio precoce às vésperas de entrar na faculdade. Como a maioria das pessoas, Quentin acreditava que a magia não era algo real. Acreditava. Tudo muda quando ele é surpreendentemente admitido em uma universidade - muito antiga, muito secreta, muito exclusiva - de estudos mágicos, ao norte de Nova York. Após se esgueirar por um terreno baldio do Brooklyn na tarde de inverno em que deveria ter feito sua entrevista para entrar em Princeton, Quentin se vê, em pleno verão, no idílico campus da misteriosa Brakebills. Ali - não antes de um difícil e cansativo exame de admissão - ele dá início a uma extensa e rigorosa iniciação ao universo acadêmico da feitiçaria moderna; ao mesmo tempo, descobre também os princípios boêmios da vida universitária - amizades, amores, sexo e álcool. 


>>> OUTROS LINKS <<<

PRIMERA FRASE DO LIVRO<<<
“Quentin fez um truque de mágica.”

RESENHA<<<
Depois de muito ler sobre locais incríveis, recheados com fantásticas aventuras e tudo isso regado à magia faz com que tudo mundo volte a ser criança, porque fala sério, quem nunca quis ir para Hogwarts? Ou entrar em um guarda-roupa e aparecer em Nárnia? Ou qualquer outro lugar fantástico dos livros?

Em “Os MAGOS” o autor fez isso se tornar possível. Quentin é um rapaz que leu a vida inteira sobre um lugar mágico chamado Fillory (meio que a Nárnia para nós) e cresceu achando que não se encaixava no nosso mundo, então as véspera de ir para faculdade ele descobre Brakebills, uma faculdade mágica, onde ele conhece outros jovens que tem certas habilidades. E lá além de aprender a dominar a magia, vai descobrir a vida universitária, inclua aí: amizades, sexo, bebidas, o que há por trás da magia e outras coisas.

O autor misturou as ideias de Harry Potter e As Crônicas de Nárnia, e não falo isso dizendo que foi uma copia e sim porque é a base da interessante e meio louca história que ele conta, o foco não é a magia ou o mundo que eles podem ir. Mas sim nos personagens, as mudanças, os momentos de escolhas, os amores, as raivas e a magia só amplia tudo isso.

Quem pensa que por ter uma base em Harry Potter, o autor suavizou os pensamentos e as atitudes de seus personagens, está redondamente enganado. Não que ele descreva explicitamente as cenas de sexo, ou quando eles ficam de ressaca, mas isso são algumas constantes do livro, há palavrões, brigas, rancor e essas cenas. Por isso quem só está acostumado as coisas mais leves e ter de pescar uma ou outra ideia na entrelinha pode não curtir muito o livro.

Confesso que essa diferença e levar as coisas para um mundo mais adulto foi o que me prendeu no livro. Claro que há cenas sem nexo e as vezes desnecessárias, mas acredito que em quase todos os livros sentimos um pouco disso. Mas de modo geral o livro conta o dia-a-dia da vida de Quentin, seus dramas e como a vida de jovem-adulto (entrando na faculdade e saindo dela) pode ser confusa e nos deixar incerto.

O livro acompanha a vida do protagonista desde que ele descobre sobre Brakebills até quando ele se forma, passando por tudo já descrito acima. E há um livro 2 chamado O Rei Mago, acredito que ele tenha mais uma ligação com o final do livro. É que mais para o fim do livro acontecem algumas coisas que ficam em aberto deixando assim um gancho para o 2° livro da série.

 
Quer saber dos venenos do blog? Acompanhe as redes sociais<<<
FORMSPRING || TWITTER || FEED || FACEBOOK || YOUTUBE || TUMBLR || CONTATO

Share:

0 comentários