BOOKS || O Clã dos Magos (Trudi Canavan)

Autor: Trudi Canavan
Tradutor: Robson Peixoto
Editora: Novo Conceito
Série: sim, livro 1 (série A Trilogia do Mago)
Temas: Jovem-Adulto, Magia, Aventura

Todos os anos, os magos de Imardin reúnem-se para purificar as ruas da cidade dos pedintes, criminosos e vagabundos. Mestres das disciplinas de magia, sabem que ninguém pode opor-se a eles. No entanto, seu escudo protetor não é tão impenetrável quanto acreditam. Enquanto a multidão é expurgada da cidade, uma jovem garota de rua, furiosa com o tratamento dispensado pelas autoridades a sua família e amigos, atira uma pedra ao escudo protetor, colocando nisso toda a raiva que sente. Para o espanto de todos que testemunham a ação, a pedra atravessa sem dificuldades a barreira e deixa um dos mágicos inconsciente. Trata-se de um ato inconcebível, e o maior medo da Clã de repente se concretiza: uma maga não treinada está à solta pelas ruas. Ela deve ser encontrada, e rápido, antes que seus poderes fiquem fora de controle e destruam a todos.
PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“Dizem que em Imardin o vento tem alma e chora lamentosamente pelas ruas estreitas da cidade porque se entristece com o que encontra por lá.”

RESENHA <<<
Estava mega ansiosa para ler O Clã dos Magos e apesar de algumas coisinhas (que irei explicar na resenha) foi uma leitura interessante e os fãs de fantasia com certeza vão se amarrar.

Ao começar as primeiras páginas do livro foi inevitável não fazer comparações com outros livros já lidos – Rangers, Senhor dos Anéis, as ideias do RPG e por aí vai – mas não fiz comparação pelo fato de ser bom ou ruim, e sim porque a história estava inserida nesse meio. Onde as pessoas moram em cidades que lembram a Idade Média e são divididas em catas/sociedades e sair de uma para outra é bem complicado.

Sonea é a personagem principal, ela é considerada como uma qualquer, pois vive no local mais afastado da cidade, imundo, onde é preciso sobreviver a cada dia e os temidos para ela são Os Ladrões, não seu Rei ou Magos ou a classe nobre. E durante um festival tudo muda, pois ela se descobre Maga e isso seria impossível. É quando começa uma fuga alucinada, pois Os Magos nem sempre são tudo isso que dizem por aí.

A história foi bem dividida, tem bastante aventura e nos atrai para saber mais de Sonea e seus amigos, afinal, para se esconder é preciso negociar e sabemos que negociações sempre podem render traições. Afinal a história se concentra em duas classes importantes e rivais – Magos e Ladrões.

Apesar da espessura do livro, ele não tem tantos detalhes quanto poderia ter, o qual iria enriquecer o ambiente narrado. Não sei se é pelo fato de parecer a Idade Média e logo ser fácil das pessoas imaginarem alguns locais. Mas senti falta de melhores descrições. E outra coisa que pecou, foi o excesso das mesmas informações. A autora passa muitos capítulos repetindo – ou melhor, fazendo render – a história. Tinha momentos que estava nervosa porque parecia que lia 3/4 capítulos e nada acontecia e só se arrastava.

Outra coisa para prestar atenção é na quantidade de personagens e nomes estranhos/parecidos, isso fez com que algumas vezes eu ficasse em duvida sobre quem estava falando/sendo falado e era necessário voltar algumas páginas para me lembrar de que núcleo aquele personagem era.

No final do livro há um glossário, pode ser bem útil.

Próximo Livro:

Share:

0 comentários