POISON BOOKS - @mor (Daniel Glattauer)

Em 28 maio 2012

Autor: Daniel Glattauer
Tradutor: Eduardo Simões
Editora: Suma de Letras
Publicação: 2012
Páginas: 184                                                                                  
Capítulos: --
Série: sim, livro 1
Temas: romance, internet
SINOPSE - Num e-mail enviado por engano, começa um relacionamento virtual que testa as convicções de Leo Leike e Emmi Rothner. Leo Leike, ainda digerindo o fracasso de seu último relacionamento, responde de forma espirituosa a duas mensagens enviadas por engano por Emmi Rothner, casada. Inicialmente, ela só queria cancelar uma assinatura de revista. Depois, inclui Leo por engano entre os destinatários de um e-mail de boas festas. Na terceira troca de e-mails, o mal-entendido dá lugar à atração mútua, reforçada pelo fato de um nunca ter visto o outro. Nada como a curiosidade instigada por frases bem encadeadas chegando a intervalos regulares numa caixa postal eletrônica para que os dois se esqueçam dos possíveis impedimentos. A cada dia, Leo e Emmi se sentem mais impelidos a marcarem um encontro. Após trocas contínuas de mensagens, está claro para ambos que o marido dela e as feridas emocionais dele não serão obstáculos para que marquem um encontro. O único obstáculo real é a insegurança de ambos quanto à transformação da fantasia em realidade. A expectativa é uma faca de dois gumes e a realidade pode não estar à altura. A tradição dos romances epistolares, compostos exclusivamente de trocas de cartas, é antiga na literatura ocidental. O primeiro livro com estas características, o espanhol Prisão de amor, de Diego de San Pedro, data de 1485. No século 18, o gênero se tornou popular, com clássicos como Ligações perigosas, de Choderlos de Laclos, Clarissa, de Samuel Richardson, e O sofrimento do jovem Werther, de Johann Wolfgang von Goethe. O austríaco Daniel Glattauer dá nova vida à tradição epistolar em @mor, primeiro de dois romances que exploram um relacionamento sustentado basicamente em trocas de e-mails. Romance de estreia de Glattauer e campeão de vendas na Alemanha e na Espanha, o livro explora, sob roupagem moderna, sentimentos familiares a amantes de todas as gerações.  


>>> OUTROS LINKS <<<

PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“Gostaria de cancelar minha assinatura.”

RESENHA <<<
“Se você já encontrou a pessoa perfeita, por que se arriscar a conhecê-la?”

Essa é a frase que vem embaixo do título do livro e antes de ler ou até saber muito sobre a história fiquei pensando nela e tentando ver quantas vezes eu já pensei nela.

@mor é uma história que tem tudo a ver com os dias de hoje, o encontro pela internet, conhecer pessoas novas de forma estranha e inusitada e como de repente, aquela pessoa que está tão distante de você e que você nem a viu pessoalmente, pode fazer tanta diferença assim na sua vida.

A forma como Emmi e Leo se conhecem é engraçada e poderia nem ter começado nada se eles não fossem espirituosos, um email com uma letra errada e de repente vai parar para outra pessoa e um ‘relacionamento’ começa. No início são mensagens sobre o dia a dia, bobeiras, querendo saber um cadim mais sobre coisas qualquer, mas aos poucos percebemos como isso vai tomando o tempo deles e que na maioria das vezes eles pensam um no outro mesmo off-line.

Os diálogos são interessantes e mesmo sendo escritos em forma de email, eles passam sentimentos – seja raiva, alegria, desespero, ansiedade – dá para perceber claramente como cada um está, e é algo que podemos sentir que é real.

Eu gostei bastante de como a história se desenrola, até do final que muita gente virou a cara. Não sei se vocês já foram conhecer alguém pela internet ou se já passaram bastante tempo analisando as pessoas pela forma de escrever, como já tive as duas experiências, me identifiquei com vários momentos narrados.

Por isso a frase que abre essa resenha seja bem verdadeira, como ir conhecer alguém que você já idealizou? E se não for daquele jeito? E se tudo mudar depois de conhecer? Pode ser bobeira para muitas pessoas, mas idealizar as coisas faz parte da nossa vida.

Confesso que estou bem ansiosa esperando a continuação para saber mais sobre esse casal (ou não).


Quer saber dos venenos do blog? Acompanhe as redes sociais <<<