POISON BOOKS - Os Gêmeos (Pauline Alphen)

Em 23 abril 2012

Autor: Pauline Alphen  
Tradutor: Dorothée de Bruchard + ajuda da autora
Editora: Cia das Letras
Publicação: 2012
Páginas: 367                                                                                  
Capítulos: 29
Série: Sim, livro 1
Temas: Jovem-Adulto, Distopia
SINOPSE - Claris e Jad são irmãos gêmeos tão inversos quanto idênticos. Compartilham sentimentos e pensamentos, mas enquanto Jad tem um coração frágil e sofre de enxaquecas terríveis, condições que lhe impedem de passar muito tempo ao ar livre, Claris é uma garota cheia de vida, destemida, que sonha em viver grandes aventuras. Aventuras como as que lê na Torre dos Livros, onde seu melancólico pai vive enfurnado desde o sumiço da mulher; aventuras como aquelas que a mãe lia para ela; aventuras como as que Jad, com seus problemas de saúde, não pode experimentar. Eles vivem em uma aldeia chamada Salicanda, em um castelo cravado num vale isolado por uma cadeia de montanhas e encharcado por uma chuva fina e incessante, com o pai, Eben; um preceptor, Blaise; e a ama, Chandra. A mãe, Sierra, desapareceu em uma noite de temporal, no dia em que os gêmeos completavam três anos, deixando a família despedaçada e muitas perguntas no ar. Claris, que divide o tempo entre os livros, as aulas de esgrima e as cavalgadas na floresta, anda obcecada com a ideia de que as aventuras são sempre protagonizadas por meninos - o que ela acha extremamente irritante. Mas está enganada, pois vai viver uma aventura e tanto ao lado do irmão. À procura de respostas para os mistérios que envolvem o sumiço da mãe, a história de Salicanda e os dons sobrenaturais que parecem ter herdado de Sierra, os gêmeos vão ultrapassar as fronteiras do castelo onde vivem e também do seu mundo: aquele da infância dos dois, o de um passado que eles desconhecem. 


>>> OUTROS LINKS <<<

PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“’Aventuras nunca acontecem com as meninas’, pensava Claris, com raiva.”

RESENHA <<<
Mais uma distopia. \o/
Estou quase ficando craque nesse negócio... rs

Os Gêmeos é o tipo de história que a sinopse te prende, afinal como no século XXIII as pessoas não conhecem a tecnologia? Eu só pensei em uma coisa – algum tipo de catástrofe aconteceu para este fato. Mas o que aconteceu? Bem, até depois de terminar o livro ainda não sei a resposta.

Poderia enumerar as coisas que não gostei do livro e logo uma delas é a quantidade de personagens que existem. E poderia cortar metade deles, porque são daqueles que aparecem para fazer figuração, ganham uns 15 minutos de fama, mas todos os outros falam dele depois, aí você fica se perguntando ‘fulano quem?’. E nem vou falar dos nomes estranhos.

Segundo que a história era para se concentrar em 2 coisas – os gêmeos e o que aconteceu para acabar a tecnologia – mas nada disso acontece. Apesar de ter gostado da Clarys [ela me lembrou um cadim a Arya de Guerra dos Tronos] tinha horas que estava forçando demais. E as explicações sobre o que aconteceu no passado são tão vagas e no meio de mil diálogos sobre outras coisas que provavelmente passa despercebido alguns detalhes.

Demorei bastante tempo para ler este livro, pois o livro não tinha fluidez, eu lia um trechinho e empacava, parecia que a história não estava costurada de forma única. Como se fosse uma colcha de retalhos e de repente alguma coisa bacana surgia.

Eu não sei o que pensar para os próximos livros dessa série, pois tem uns momentos interessantes, como o lance dos gêmeos serem tão unidos e a forma que cada um descobre o amor é cute, mas as explicações para o problema ocorrido nos 2 séculos passados foi muito pouca e não me agradou muito.


Quer saber dos venenos do blog? Acompanhe as redes sociais <<<