POISON BOOKS - Extras (Scott Westerfeld)

Em 27 abril 2012

Autor: Scott Westerfeld
Tradutor: André Gordirro
Editora: Galera Record
Publicação: 2012
Páginas: 415                                                                                  
Capítulos: --
Série: Sim, livro 4
Temas: Jovem-Adulto, Distopia
SINOPSE - No quarto livro da série, A Era da Perfeição ficou no passado. A libertação promovida graças aos esforços de Tally Youngblood deu fim a uma cultura onde a beleza e as modificações cerebrais, que transformavam todos em avoados, eram a base do sistema. Nesse novo mundo onde Aya Fuse — não apenas uma Feia de 15 anos, mas uma Extra — tenta sobreviver, existe uma coisa muito mais importante e poderosa do que a beleza: a fama. Ocupando o 451.611º lugar em uma tabela que mede a popularidade das pessoas, Aya é só uma Extra nesse complexo sistema social. Mas a descoberta de um grupo de misteriosas meninas que se arriscam a surfar em trens magnéticos pode ser a oportunidade perfeita para alcançar o seu lugar no topo. Uma matéria tão boa que irá despertar o interesse de todo mundo, incluindo alguém há muito desaparecido.


>>> OUTROS LINKS <<<

PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“Todos vocês dizem que precisam de nós.”

RESENHA <<<
Livro 4? da série Feios, quer conhecer os anteriores? Então clica:

O que é ser um Extra para você?
Assim que terminei Especiais quis morrer e fiquei me perguntando...como um autor pode terminar uma saga assim? Deveria ser proibido por lei algo desse tipo, mas já sabia que o autor gostava de finais digamos alternativos e meio inexplicáveis de outros carnavais, então mesmo meio revoltada sabia que era algo de praxe.

Então ao ler Extras e termina-lo, eu fiquei com aquela sensação estranha de gostei mas não gostei, porque apesar de ter um pouco daquele mundo de antes, acabou tendo um novo personagem e as questões levantadas foram outras. Eu queria mais Tally e Daniel <3 e acabou não sendo muito isso que está nesse livro.

Por isso eu não considero Extras como um livro 4 e sim um livro a parte que trata desse mesmo mundo. Aqui a personagem principal é a Aya e o objetivo é ser famoso, ter seu canal ‘bombando’ – é como você ter um canal no YouTube e muitas pessoas assistirem e te dar IBOPE – e isso faz você subir em níveis de popularidade. Ainda temos o conceito de Feio, Perfeito e afins, mas não é imposto como nos livros anteriores, aliás até o local mudou, este se passa no Oriente enquanto os anteriores dava a impressão de ser no antigo EUA.

Em termos de questionamento, o autor continuou pisando na ferida, talvez até mais do que nos anteriores, afinal até onde você vai pela fama? Traições? Invenções? Fingir ser algo que não é? Se meter em algo perigoso? O dilema que Aya precisa enfrentar é esse, ela é uma Feia, Extra e quer ser alguém importante, então precisa fazer algo para impressionar.

Para quem como eu torcia para Tally e cia aparecerem na história podem comemorar, eles aparecem sim, mas não do jeito que imaginei e continuei sem final para o casal (na verdade é a mesma ideia de Especiais).

Não digo para ler esse sem ler os anteriores, porque você vai acabar se perdendo no universo criado por Scott, mas por ser algo quase completamente diferente quase dá para fazer isso e nem tem tanto spoiler assim.

Prefiro ficar com o final em Especiais e pensar nesse como algo a parte.


Quer saber dos venenos do blog? Acompanhe as redes sociais <<<