BOOKS || A Filha do Pastor das Árvores (Gillian Summers)

Autor: Gillian Summers
Tradutor: Flávia Anderson
Editora: Bertrand
Série: Sim, livro 2 (série O Povo das Árvores)
Temas: Jovem-Adulto, Fadas

Com a morte da mãe, Keelie Heartwood, uma jovem de apenas quinze anos, é forçada a deixar sua adorada Califórnia para viver com o pai nômade no Festival da Renascença de Montanha Alta, no Colorado. Lá, coisas estranhas começam a acontecer - estranhas mas familiares. Keelie percebe que algumas pessoas do festival têm orelhas pontudas, incluindo o cavaleiro mais bonito do lugar, Lorde Sean do Bosque. Quando ela começa a ver seres estranhos e a se comunicar com árvores, descobre que existe um segredo a seu respeito e percebe que seu pai lhe deve explicações.

PRIMEIRA FRASE DO LIVRO <<<
“Árvores. Embora Keelie Heartwood imaginasse que sua vida não poderia se tornar mais deprimente do que já era, a visão da floresta verdejante deixou-a ainda mais triste.”

RESENHA <<<
Fadas, elfos e afins não são temas novos, acredito que já pode ser até um tema bem batido, mas quando o autor fala dos mesmos temas por outros ângulos, a história acaba ganhando um quê especial e posso dizer que ‘A Filha do Pastor das Árvores’ tem exatamente isso, esse detalhe que faz a história ser fofa e ao mesmo tempo diferente do que anda sendo escrito.

Keelie, a protagonista, precisa aprender a lidar com a dor da perda da mãe, e ir morar com o pai que nunca viu com certeza não fará com que eles sejam melhores amigos instantaneamente. Principalmente porque o pai mora em uma Feira Renascentista. E ela, bem, ela morou a vida toda na Califórnia, palmeiras artificiais e muitos shoppings centers, nada disso combina com tanto verde e árvores.

A história gira nesses dois momentos, os sentimentos da menina em relação a recomeçar, sua luta entre gostar do novo lugar e se ela gostando fará esquecer a mãe e entender quem é o pai, porque da feira e entender melhor a misteriosa ‘doença’ que ela tem em relação as árvores, com um simples toque ela pode dizer de onde e que espécie são.

Claro que há os elfos bons e ruins, a menina que é popular e já é a mega rival de Keelie e também o belo e misterioso rapaz que vai cativá-la. Um pequeno triangulo amoroso pode vir a ser formado [ou é apenas minha imaginação que adora um momento drama também], mas o principal é a natureza, e como a menina da cidade grande precisa se relacionar com ela.

O vilão não ficou bem definido, sabemos que tem gente por trás das coisas que acontecem na feira, mas nenhuma pessoa assume a tarefa, aí ficou a ligeira dúvida, é a própria natureza que está tentando se equilibrar ou é algo (ruim) por trás de tudo isso?

É daqueles tipos de livros que você lê rapidamente e nem sente o tempo passar, os dramas da menina são bacanas e essa busca do querer entender seu passado e seguir (ou não) para esse futuro, faz Keelie ser um poço de transformações, algumas bem sucedidas e outras não. Estou ansiosa para conhecer mais dos circuitos das feiras da renascenças e sobre os mistérios que a autora reserva para todos. 

Próximos Livros:
Livro 2 - No Coração da Floresta
Livro 3 - O Segredo da Floresta do Pânico

Share:

0 comentários