POISON BOOKS - Você Tem Meia Hora (Camila Nascimento)

Em 16 novembro 2011

Autor: Camila Nascimento Silva
Editora: Subtítulo
Publicação: 2011
Páginas: 435                                                                                
Capítulos: 56
Tema: Chick-Lit, Lit. Nacional,

RESENHA DA CONTRA-CAPA:
Na noite de réveillon, Bia é abandonada por Arthur, o namorado de três anos com quem já morava há dois e pretendia se casar em um. À beira dos trinta, isso é uma tragédia, pois o que era para dar certo já tinha que ter dado e o que deu errado não dá mais tempo de consertar, ou seja se não se casar até os trinta, Bia estará condenada ao calabouço da solteirice, brigando pelo buquê nas festas de casamento e conhecendo homens que mentem a idade, o estado civil e a foto na internet. Mariana acha que a melhor amiga está exagerando, pois até um pé na bunda te empurra para frente. "Reiventar-se" é A palavra! Porém para isso, Bia precisa ir para o lugar onde todo mundo vai quando dá essas loucas. Londres. E concorrer à vaga de emprego mais disputada do século XXI. Mais será que uma mudança pode mesmo dar certo quando se leva na bagagem uma estória tão mal resolvida?



PRIMEIRA FRASE DO LIVRO:
“Todos os passageiros já haviam desembarcado e eu cantarolava na galley, preparando-me para deixar a aeronave.”

RESENHA:
Não sou muito fã de chick-lit, mas reconheço quando alguns deles me agradam a ponto de querer ler desesperadamente para saber o que vai acontecer com a protagonista no final. E assim foi o caso de “Você Tem Meia Hora”, que tive o prazer de receber das mãos da autora e da (agora editora) Subtítulo na Bienal. Simpatia da autora a parte, quando chegou a hora de ler seu primeiro romance, gostei bastante do que li, principalmente o jeito como ela descreveu alguns personagens.

Camila deu vida a uma profissão que hoje em dia quase todo mundo conhece – as comissárias de bordo – e assim que conhecemos Beatriz, ou simplesmente Bia. Sua paixão por voar é tão grande que na maioria das vezes ela fica aérea e esquece de quem está aqui embaixo esperando por ela. Mas o mundo cor-de-rosa dela acaba quando ela chega ao Brasil e seu ‘namorido’ Arthur diz que está tudo terminado, isso é as véspera do Ano Novo.

E nesse momento a personagem entra em uma espiral de emoções, entra em depressão, diz que quer o cara de volta, fica com raiva de tudo e de todos, aqueles dramas que todo mundo que já levou um pé na bunda sabe bem como é. Mas em todo momento que a personagem está mal, sentimos isso, é quase como se estivéssemos na pele da personagem.

E tudo muda quando ela viaja para Londres, a amiga Mariana dá uma super força e lá ela tem uma vida nova, medos de repetir o que deu errado na antiga, ainda no Brasil, mas se arrisca, compra, conhece gente nova, todos os dramas e apreensões de quem embarca para viver sozinho no exterior.

E isso está claro em todo o livro, o jeito simples da escrita, como se a história fosse de alguma amiga ou conhecida nossa, os capítulos rápidos e dinâmicos. Pena que um ou outro capitulo fico enorme e poderia ser dividido, pois tinha momentos que por estar muito grande perdia o fôlego na leitura.

Os personagens amigos de Bia, principalmente Mariana, acho que é um dos mais importantes, quase como um belo anjo da guarda na vida da melhor amiga, ajudando a se livrar dos medos e receios quando precisava, todo mundo precisa de amigos assim, verdadeiros. E os amigos/conhecidos de Londres, toda a vida louca e cosmopolita da cidade da hora do chá e da pontualidade esteve ao alcance da imaginação, principalmente quando sempre somos bombardeados por cidades americanas, fiquei feliz de variar um pouco o ar.

Para os fãs de chick-lit, com certeza devem dar uma chance para este, pois a personagem é meio gente como a gente, e não tem aqueles problemas padrão dos chick-lits. Uma das histórias nacionais mais bacanas que li esse ano.

Venenoso



Quer saber mais dos venenos do Poison? Assine o Feed ou siga pelo Twitter.