POISON BOOKS - Vocação (Roberto Laaf)



Autor: Roberto Laaf
Editora: Alcantis
Publicação: 2011
Páginas: 198                                                                                
Capítulos: 20
Tema: Adulto, Sobrenatural, Lit. Nacional

RESENHA DA CONTRA-CAPA:
Ana Clara continua às voltas com suas visões de assassinatos, mas desta vez o protagonista de seus tormentos é um homem elegante e envolvente chamado Eduardo, que lhe foi apresentado por sua melhor amiga, Clarisse.
Depois de muito tempo com o coração endurecido e mergulhado em solidão, sente-se tocada pelo jeito especial de Eduardo, o que lhe deixa ainda mais angustiada pela certeza do perigo.
Incapaz de imaginar que o assassino de seus pais está tão próximo, o perigo continua rondando a si e aos seus amigos, em uma espécie de sinistro ensaio para a morte. 



PRIMEIRA FRASE DO LIVRO:
“A cobertura do edifício Golden Green, na Avenida Sernambetiba, possui uma das vistas mais privilegiadas da Barra da Tijuca, bairro nobre na cidade do Rio de Janeiro.”

RESENHA:
Livro 2 da série Horizontes do autor Roberto Laaf, para conhecer o início da saga, clique:

Fiquei impressionada no livro 1, uma história que misturava um dom ou seria uma maldição sobre morte, perseguições na cidade maravilhosa e a protagonista que tenta a todo custo salvar sua amiga da morte iminente.

Neste segundo livro, o cenário continua, mas a trama começa a aprofundar, os amigos não são tão seus amigos assim, a verdade nua e crua começa a surgir e Laaf não teve medo de escrever o submundo do crime, como por um azar do destino alguém que não deveria morrer acaba tendo uma morte infeliz tudo porque estava na hora e no local errado.

Mas a trama toda ainda gira em cima de Ana Clara, que tem esse poder de ver quando algo ruim vai acontecer com os outros e tentou de todas as formas proteger sua amiga Clarisse no livro anterior. Neste livro ela não esteve tão brilhante assim como no anterior, enquanto Clarisse tentou seguir com a vida, mesmo tendo passado por maus momentos, Ana ficou travada e bem apagada no livro.

A personagem principal não me cativou nesse segundo volume, aliás, ela me irritou bastante, todas as vezes que ela entrava em cena era como se o ritmo quebrasse. Sabe quando você dirige um carro em uma determinada velocidade e vê um sinal vermelho e precisa frear? Era assim comigo, a personagem principal era o sinal vermelho.

Sinto que faltou explorar mais esse dom da personagem, mesmo com novos personagens na história, ela ficou apagada e apática. Todos querendo ajuda-la e nada dela se manifestar. Mas como citado acima, as outras cenas e toda a rede de corrupção e de pessoas querendo se vingar de Clara foram bem construídos e muitas vezes não tínhamos certeza se a coisa ia ou não dar certo devido as situações estarem sempre mudando.

O final foi intrigante, pois ao longo do livro jamais achei que a personagem pudesse tomar alguma decisão, mas ela tomou e foi um gancho com muitas possibilidades para o livro 3. Que a princípio é o final da trilogia.

Tóxico


Quer saber mais dos venenos do Poison? Assine o Feed ou siga pelo Twitter.

Share:

0 comentários