POISON BOOKS - Aprisionada (Lauren DeStefano)



Autor: Lauren DeStefano
Editora: Underworld
Publicação: 2011
Páginas: 287                                                                                
Capítulos: 27
Tema: Jovem-Adulto, Distopia

RESENHA DA CONTRA-CAPA:
Graças à ciência moderna, os seres humanos se tornaram bombas-relógio genéticas. Os homens vivem apenas até os 25 anos e as mulheres até os 20 anos. Neste cenário desolador, as meninas são raptadas e forçadas a casamentos poligâmicos para manter a população longe da extinção. Quando Rhine Ellery de dezesseis anos é raptada pelos Coletores para se tornar uma noiva, ela entra em um mundo de riqueza e privilégio. Apesar do verdadeiro amor de seu novo marido Linden, e uma tênue confiança entre as irmãs de seu esposo, Rhine tem um propósito: fugir para encontrar seu irmão gêmeo e ir para casa. Mas Rhine tem mais coisas a enfrentar que a perda de sua liberdade. O pai excêntrico de Linden está obcecado em encontrar um antídoto para o vírus da genética que está lentamente se aproximando de seu filho, mesmo que isso signifique coleta de cadáveres a fim de testar seus experimentos. Com a ajuda de Gabriel, um servo que confia, Rhine tenta libertar-se, no curto tempo que ainda resta.




PRIMEIRA FRASE DO LIVRO:
“Eu aguardo.”

RESENHA:
Este foi um livro que comprei pela capa – que é linda por sinal – e até estar com ele na minha mão, eu nem sabia do que se tratava. Bem-vindos a mais um tema de Distopia.

Este livro me fez pensar na questão da idade, pois ao mesmo tempo estava lendo um livro que se passava mais ou menos em 1300 e era a mesma questão. Aqui num futuro distante, depois de uma 3ª Guerra Mundial e algum tipo de doença misteriosa, os homens morrem aos 25 anos e as mulheres aos 20. Não é mais ou menos o que acontecia em 1300? Tudo bem que tinha mil motivos envolvidos, mas do mesmo jeito se morria bem cedo.

Em Aprisionada acompanhamos Rhine que tem 16 anos e foi sequestrada para que ela se case com uma pessoa importante e consequentemente gerar filhos, já que está no seu prazo fértil. Ela não foi a única sequestrada, ela está presa junto com duas meninas – uma de 13 anos e outra de 19 anos. E ela vai narrando seus dias presa com suas ‘esposas-irmãs’ e como elas levam suas vidas.

A ideia é interessante, mas acho que foi mal contada, o ritmo da leitura é bem lento e por mais que ele não seja escrito na forma de diário, tinha momentos que total parecia que estava lendo um.

A autora colocou todas as personagens que amamos/odiamos; a novinha é a motivada e acha que aquilo que vive é o sétimo céu, a mais velha é a conformada pois sabe que em breve vai morrer e deixa tudo correr frouxo. E Rhine é o meio termo, não é conformada, mas também não é empolgada com a situação, ela sabe o que está em jogo.

Eu gostei da Rhine, claro que ela é bem lentinha às vezes, mas ela não se perde totalmente na sua busca por liberdade e se ver livre do drama que a sua vida se tornou. Os personagens nem sempre são o que parecem ser, e há aqueles momentos de dúvidas sobre o que eles são de verdade ou que lado estão.

Mas para mim ainda ficou muita coisa no ar – o que motivou a 3ª Guerra? Quando esse problema no DNA começou? Essa idéia de pesquisa que tem um ar de mistério em todo o livro. São coisas apenas comentadas superficialmente que mereciam mais detalhes e são o princípio de tudo na história. E tem mil perguntas sobre a casa que as meninas moram.

O romance é bonitinho, acho que ficou mais no nível de amor romântico do que as paixões arrebatadoras dos livros Jovem-Adulto. Não sei o que esperar do próximo livro, quero muito mais explicações e uma trama mais profunda, então sem pressa de ler o próximo por enquanto.

Tóxico






Quer saber mais dos venenos do Poison? Assine o Feed ou siga pelo Twitter.


Share:

0 comentários