POISON MOVIES - Amor a Toda Prova



Título no Brasil:  Amor a Toda Prova
Título Original:  Stupid, Crazy, Love
País de Origem:  EUA
Gênero: Comédia Romântica
Ano de Lançamento:  2011
Duração: 118 mim
Estréia no Brasil: 26/08/2011
Estúdio/Distrib.:  Warner Bros
Direção:  Glenn Ficarra/John Requa

SINOPSE:
O careta Cal Weaver (Steve Carell) tem quarenta e poucos anos e uma vida perfeita – um bom emprego, uma casa legal, filhos ideais e um casamento com sua namorada do colégio. Mas quando Cal descobre que sua esposa Emily (Julianne Moore) o está traindo e quer o divórcio, sua vida “perfeita” desaba rapidamente. E para piorar, faz décadas que Cal não tem um encontro amoroso e ele é justamente a definição de alguém sem charme.




RESENHA:
Atire a primeira pedra quem nunca se apaixonou e cometeu loucuras, muitas vezes fazendo coisas que depois que a paixão termina ficamos nos perguntando “Como fui capaz de fazer isso?”

Apesar de ser um filme romântico, acredito que ele é mais voltado para o público masculino, pois o marido descobre em um jantar que está sendo traído e vê seu casamento de 25 anos ir por água abaixo.

Aí começa a graça das coisas, porque querendo ou não tudo vai girar ao redor dele. Ao sair para afogar as mágoas, ele conhece um ‘pegador profissional’ que vai ensinar a se vestir, chegar nas mulheres e tudo mais da arte de flertar.

Seus filhos, principalmente o mais velho começa a deixar de acreditar no amor, porque sua babá por quem é apaixonado gosta de outro. Aliás, este filme aborda muito isso; A que ama B que ama C, parece que todo mundo será infeliz.

E nessas tentativas de A impressionar B que são as partes engraçadas e os momentos de vergonha alheia, porque todo mundo já fez pelo menos uma vez uma das coisas que aparecem no filme.

O filme é divertido, leve, engraçado e não é daqueles românticos chatos e melosos. Há diversos personagens e cada um representa algo dentro dessa coisa maluca que é se apaixonar e o jeito de se comportar; alguém ousado, uma pessoa tímida, o mala do bar, etc.

O final apesar de ser clichê, é mega esperado, acho que se não ocorresse geral sairia meio P do cinema. Mas até chegar nas cenas finais há muitas coisas non-sense acontecendo. Pode ir certo que é garantia de risadas e vale para todos evitar fazer certas coisinhas... mas pensando bem, quem consegue ser são quando se está apaixonado?

Venenoso




Quer saber mais dos venenos do Poison? Assine o Feed ou siga pelo Twitter.

Share:

0 comentários