BOOKS || Irmandade da Cruz (LH Carvalho)

Autor: L. H. Carvalho
Editora: Baraúna
Tema: Lit. Nacional, Ficção, Religião
Adrien era estrangeiro e estava no Brasil escrevendo uma matéria para a empresa jornalística na qual trabalha. Como estávamos hospedados no mesmo hotel, acabamos por fazer amizade, e em seu horário livre nos acompanhava, a mim e alguns amigos, para os locais turísticos da cidade. Nossas conversas acabavam se direcionando para assuntos de espiritualidade. Como isso sempre me fascinou, ficávamos frequentemente até altas horas da noite discutindo. Adrien era um homem muito inteligente, e no pouco tempo em que estivemos juntos aprendi muito. Antes de partir ele me deu um manuscrito e pediu que o lesse, mas que não comentasse com ninguém sobre seu conteúdo, com o que, evidentemente, concordei de pronto. Trocamos telefones e seguimos nossas rotinas normais de vida. Durante minha volta comecei a ler o que havia me dado e, confesso, fiquei tão impressionado com o que estava escrito que não parei até terminar. Minha primeira reação foi telefonar para ele, primeiro para agradecer pela confiança, depois, porque o entusiasmo era tanto que queria mais detalhes. Conversamos por um longo tempo e, no final, pediu para que eu editasse o conteúdo do texto que ele, por razões óbvias, não podia fazê-lo, porém solicitou que aguardasse um contato seu, autorizando-me a divulgação. O tempo passou e essa autorização só chegou seis anos depois.
PRIMEIRA FRASE DO LIVRO:
“Acordei me sentindo atordoado.”

RESENHA:
Este livro faz parte do booktour organizado pela editora Baraúna e o blog ficou muito feliz em participar e para quem está acompanhando as diversas opiniões dele, bem, chegou a vez do veneno do Poison =)

A contra-capa promete mistérios e revelações interessantes, daquelas que talvez mudem o rumo dos seus pensamentos e realmente é preciso abrir a mente para ‘aceitar’ o conteúdo deste livro. No decorrer das páginas me senti um pouco como em Código Da Vinci, onde havia mistério e um outro lado, onde um segredo seria revelado.

Esta saga começa com um mistério interessante. Quem narra a história está preso em algum lugar que não sabemos (nem ele inclusive) e fica tentando se lembrar de tudo que aconteceu. Logo os primeiros pensamentos são: Uau, tem várias coisas interessantes vindo por aí, pois para se começar um livro preso o mistério, pistas e afins serão interessantes.

Mas nem foi assim, o motivo do narrador se envolver na trama é bem conspiratória, ele já fazia parte de uma espécie de Irmandade e é convidado para integrar essa – Irmandade da Cruz – e tudo isso se dá ao fato dele ser jornalista e a curiosidade sempre falar mais alto.

E um fator decisivo é quando começam as mortes de alguns integrantes da tal Irmandade. Aí a história tem uma sacada incrível, sociedades secretas, protegendo uma história interessante (que não vou contar, porque este é o mega spoiler do livro) e algumas mortes e ameaças são prato cheio, certo?

Seria certo, se tudo corresse bem, mas no decorrer do livro, o mistério apesar de aumentar, não deixa os personagens querendo ir atrás para saber mais, o narrador fica tão mergulhado no que a Irmandade revela que deixa as coisas de lado. E com isso a parte forte do livro, o lado policial/thriller ficou muito a desejar.

Durante a leitura tinha horas que me senti sem saber que rumo o autor queria dar na história, focar nessas mortes ou meio que doutrinar a ‘nova ideia’ que era apresentada no livro. Pois, há momentos que praticamente se esquece de tudo ao redor e ficamos lendo sobre os segredos que a Irmandade esconde ao longo dos séculos. Deixando de lado outras coisas importantes que estavam acontecendo na história.

Como citei acima, quem gosta de Dan Brown e relações com a Igreja (mesmo que seja tortuosa), vai gostar desta história, porque tem uma linha semelhante, para os fãs de policial, eu digo para ler com bastante calma, pois neste ponto foi fraca. E para quem é fã de teorias da conspiração e gostaria de conhecer mais uma, essa é um prato cheio.

Share:

0 comentários