POISON BOOKS - Dezesseis Luas (Margaret Stohl & Kami Garcia)


Autor: Margaret Stohl & Kami Gracia
Editora: Galera Record
Publicação: 2011
Páginas: 485                                                                                
Capítulos: --
Tema: Jovem-Adulto, Sobrenatural, Bruxaria

RESENHA DA CONTRA-CAPA:
Ethan é um garoto normal de uma pequena cidade do sul dos Estados Unidos e totalmente atormentado por sonhos, ou melhor, pesadelos com uma garota que ele nunca conheceu. Até que ela aparece... Lena Duchannes é uma adolescente que luta para esconder seus poderes e uma maldição que assombra sua família há gerações. Mais que um romance entre eles, há um segredo decisivo que pode vir à tona. Eleito pelo Amazon um dos melhores livros de ficção de 2009. Direitos de tradução vendidos para 24 países. Um filme da série está sendo produzido. "Pacote completo: um cenário assustador, uma maldição fatal, reencarnação, feitiços, bruxaria, vudu e personagens que simplesmente prenderão o leitor até o fim..."





PRIMEIRA FRASE DO LIVRO:
“Havia apenas dois tipos de gente em nossa cidade.”

RESENHA:
Esse é um dos livrinhos do Verão Sobrenatural da Galera Record e depois de tanta falação sobre o mesmo, eu comecei a ler sem esperar muita coisa. Mas o livro foi bom. Gostei da história e de mudar o tema sobrenatural, saem os anjos e vampiros e olá para as bruxas!!!

Dezesseis Luas é o que se pode esperar do típico romance Jovem-Adulto, personagem principal que se apaixona pelo misterioso e novo morador da cidade, vão brigar para ficar juntos e claro, esse personagem misterioso tem algo ligado ao sobrenatural e provavelmente os dois tem algum tipo de passado juntos. Alguns podem até dizer que estou errada, mas se resumimos bem a maioria das histórias, no fim teremos isso.

Aqui temos uma pequena diferença, temos ‘o’ protagonista. Sim é um rapaz que nos conta a história. É ele que sente e precisa enfrentar tudo para ficar com a mocinha. Ethan mora numa cidade pequena e o pensamento dele sempre foi: assim que acabar o segundo grau vou me mandar daqui. E tudo isso seria perfeito se Lena, a sobrinha do estranho senhor Ravenwood, que nunca sai de casa e o qual todos na cidade adoram falar.

Combinação perfeita? Fofoca em cidade pequena é deliciosamente mortal...rs. em alguns momentos do livro, o seriado Diários do Vampiro me vinha a mente. A Bonnie, bruxa amiga de Elena, e todo o contexto da cidadezinha. Como ela precisava esconder seus poderes e todos os livros de magia/ busca de feitiços que mostra as vezes na série.

Mas também teve outra semelhança, e dessa vez com Harry Potter. Porque Ethan não sabe que a moça tem esse lado e quando ele começa a perceber que algo não é exatamente o que parece ser, eu me lembrei automaticamente do menino bruxo, principalmente quando eles comentam que a cozinha estava preparando as coisas. Como se a cozinha fosse algum tipo de ‘entidade’. Totalmente me senti no grande salão de Howgarts, onde sempre que Harry chegava tinha comida a vontade.

Deixando semelhanças de lado, apesar de no princípio não ter gostado da tradução – Dezesseis Luas – aos pouco entendi que ela é totalmente dentro do contexto. Muitas pessoas me disseram que tudo era por causa de uma música que aparece no texto com o mesmo nome. Mas digo que ela tem a ver, mas não é a principal condição. Têm a ver com a personagem Lena, coisas irão acontecer que vão determinar o futuro dela (para o bem ou mal) e claro que ela não pode decidir. Provavelmente só teremos a resposta no livro 3 (bem, até agora são 3 livros essa série).

No geral gostei dos personagens, o casal é curioso e meio destemido. Claro que há momentos que tem romance demais e até um pouco de enrolação onde não deveria, mas não quis matar a personagem por ser tapada ou qualquer coisa do gênero. Isso é 100% bom.

Algumas coisas que foram comentadas no livro tiveram uma explicação meio estranha no final, por isso espero que nos próximos elas sejam melhoradas e passem a ser mais complexas. Só achei que a parte relativa a reencarnação na história foi meio forçado, mas tudo vai depender de como as autores vão levar isso. Se souberem contornar e fechar a ideia pode ser uma boa, senão...

Uma coisa que chamei atenção no vídeo foi a impressão. Afinal fiquei sem saber se realmente estavam faltando pontos, virgulas e travessões. Como se tivesse passado batido na hora da revisão ou se a impressão (lá na Gráfica) ficou ruim e isso não saiu. Pedi para vocês me comentarem sobre isso e outras pessoas disseram a mesma coisa. Por isso vou apostar na impressão ruim. Mas editoras, vamos ficar de olho nisso, hein?!

Venenoso

Compre Aqui – Compare Preços:









Quer saber mais dos venenos do Poison? Assine o Feed ou siga pelo Twitter.

Share:

0 comentários