POISON MOVIES - Nick e Norah _ Uma Noite de Amor e Música


Título no Brasil:  Nick e Norah – Uma Noite de Amor e Música
Título Original:  Nick & Norah – Infinite’s Playlist
País de Origem:  EUA
Gênero: Comédia
Ano de Lançamento:  2008
Duração: 90 mim
Estréia no Brasil: 2008
Estúdio/Distrib.:  Sony Pictures
Direção:  Peter Sollet

SINOPSE:
Nick e Norah são apaixonados por muitas coisas. Para esses jovens não há nada como um inusitado encontro para revelar paixões musicais, segredos e o tamanho de uma amizade. Uma noite agitada em Nova Iorque promete fazê-los descobrir o que há de bom em ter afinidade com alguém e ter a experiência de ser dois em um.





RESENHA:
E eis que você lê um livro, fica completamente apaixonada por ele e lógico, quer ver o filme para saber se é tão legal quanto o que acabou de ler ou se pelo menos a ideia da história está lá. Porque convenhamos, cada dia que passa sabemos que os livros que viraram filmes apenas servirão de inspiração, uma remota lembrança da história que foi escrita e com certeza não vai ter nada parecido com que lemos.

Se eu tivesse visto o filme antes de ler, com certeza ia achar bobo, na verdade achei bobo, um ‘dilema’ bem fraco para enredo de filme, aliás o filme nem se compara com o livro. E se você gostou de Uma Noite de Amor e Música, corra já para comprar o livro que é 100% melhor.

A história de passa praticamente numa única noite, onde uma banda vai apresentar um show e seu baixista está na fossa por uma menina, uma das amigas dela adora músicas, é uma apaixonada de carteirinha e misturando tudo isso, todo mundo vai parar no mesmo lugar. Onde a banda está fazendo sua apresentação.

A partir daí as coisas as vezes fogem um pouco do controle, os personagens principais são Nick e Norah, os problemas com ex, a relação da música e os gostos musicais. Mas há alguns outros que merecem um destaque. Os outros integrantes da banda de Nick – Dev e Thorn – também são um achado e tem uns momentos engraçadinhos. Já a melhor amiga de Norah – Caroline – totalmente sem necessidade dela aparecer, e o pior, a coitada só aparece em situações esdrúxulas. Com certeza, não tinha necessidade.

Mas além do dilema comum para os adolescentes – quem eu sou, o que quero da vida, como me divertir e afins. Há uma coisa divertida no meio de tudo isso. Eles estão seguindo uma banda que prometeu um show surpresa na cidade, e ninguém sabe onde será e isso já gera uma confusão, afinal depois que todos mundo já está meio ‘altinho’ seguir pistas se torna um pouco complicado.

E claro que no filme não ia faltar os exs, tanto o de Nick, quanto o de Norah são figurinhas que vira e mexe aparece em cena, seja num barzinho ou fazendo alguma graça e nesse momento sempre um dos dois precisa escolher se quer seguir nessa coisa nova deles ou se prefere o porto seguro.

Mas o que mais me deixou chateada foi perder o pulo da parte musical, no livro há muito mais diálogos sobre isso, as bandas, os movimentos, as brigas por melhores letras e as melhores bandas e aqui no filme, é citado talvez uns 20%. Isso é uma pena, perdeu o sentido de tudo.

Para quem só viu o filme e gostou, vá correndo atrás do livro que vocês irão amar e para quem não gostou do filme, dê uma chance ao livro...é muito melhor e mais intenso do que o que foi apresentado nas telas.

Tóxico








Quer saber mais dos venenos do Poison? Assine o Feed ou siga pelo Twitter.

Share:

0 comentários