POISON MOVIES - Comer, Rezar, Amar


Título no Brasil:  Comer, Rezar,  Amar
Título Original:  Eat, Pray, Love
País de Origem:  EUA
Gênero: Drama
Ano de Lançamento:  2010
Duração: 133mim
Estréia no Brasil: 01/10/2010
Estúdio/Distrib.:  Columbia Pictures
Direção:  Ryan Murphy

SINOPSE:
Protagonizado por Julia Roberts, o filme mostra a atriz como Liz, uma escritora que, após o fim de seu casamento com o sonhador Stephen (Billy Crudup) e de um breve romance com o jovem ator David (James Franco), decide viajar pelo mundo com o objetivo de encontrar a si mesma por meio dos verbos que dão título ao filme. Ela, então, se entrega aos prazeres da gula na Itália, busca espiritualidade na Índia e um romance em Bali. Em suas jornadas, Liz encontra pessoas que ajudarão a moldar suas experiências.





RESENHA:
Você em algum momento da sua vida já achou que estava sem graça? Sem cor? Sem sabor? Como se faltasse algo que nunca sabe exatamente o que é, mas sempre fica aquela sensação de que algo não vai bem.

Este filme fala sobre isso; escolhas, mudanças na vida, arriscar tudo. Você seria capaz? Não li o livro no qual o filme foi baseado, e sendo sincera acho que não é meu tipo de livro. Por isso não vou fazer nenhuma comparação da adaptação feita no cinema. Mas gostei de ter assistido ao filme. É daqueles que faz pensar.

O filme começa em Bali, onde a personagem vai fazer uma entrevista com um guru, mas ele ao invés de fazer a entrevista com a Elizabeth (personagem da Julia Roberts) acaba lendo a palma da mão dela e dando alguns conselhos de vida (terá 2 casamentos, vai perder todo o dinheiro, vai mudar muita coisa na vida dela), mas o conselho mais importante é que ela deve um dia voltar a Bali e conversar com ele para aprender certas coisas.

Após ela voltar dessa viagem, coisas acontecem que a fazem perder o gosto pela vida, os sabores, as alegrias. Neste momento ela toma a decisão, passar um tempo na Itália para readquirir o prazer pela comida, ir à Índia para rezar e terminar o ano em Bali para se aventurar e reencontrar o guru. Eu vi o filme como se fosse dividido em 3 partes, exatamente como está no título > Comer / Rezar / Amar.

Itália > Comer. Com certeza é a parte mais divertida, ela aprende gestos, detalhes que a vida corrida de Nova York não deixa perceber, a comida sempre apimentada com muitos temperos, o jeito italiano de falar alto (como nós brasileiros), todo o glamour de uma cidade grande, mas ao mesmo tempo tão diferente da Grande Maçã. Eu adorei a Itália, as visitas, o fugir da culpa por causa de tanto que se come. O lado histórico misturado com tudo isso.

Acho que a maior parte do filme está por aqui. São tantas mudanças e descobertas que é como estar num parque de diversões e não sabemos em que brinquedo andar. Tudo é simples, mas nós sempre complicamos tudo. É isso que ela acaba aprendendo por lá. As pequenas nuances da vida e a beleza no simples.

Índia > Rezar. É um momento difícil, porque no filme dá a entender que ela começou a seguir a religião por causa do ‘ficante’ com quem ela estava em Nova York, então acredito que se privar numa religião que não é a sua complica um pouco. Mas nesta parte ela o mais importante é se perdoar e aceitar as culturas diferentes.

Muita gente disse que essa era a parte mais chata do filme, eu não achei. Eu percebo que neste momento é para pensarmos em tudo que é diferente e entender, não significa aceitar e abrir mão das suas coisas, mas é preciso dar chance para algo novo e isso às vezes pode ser muito difícil.

Bali > Amar. Todo mundo vai para Bali ter um caso? Sério que eu preciso atravessar o mundo para isso?rs. Mas é meio a lógica por aqui. Na verdade ela volta para cumprir a promessa que fez ao guru que iria voltar e aprender com ele, mas no filme a todo o momento o povo fala que Bali é o local dos affairs.

Bali é o momento final. Ela tira praticamente um ano fora viajando e se redescobrindo e em Bali é quando ela aprende a se manter em equilíbrio. Tudo em excesso faz mal, a falta de algo também. Mas a frase que mais me marcou foi algo deste tipo > Ter um coração ferido significa ter tentado algo.

Eu gostei de filme, acho que é daqueles para pensar. O que fazemos da nossa vida? Será que você já teve um momento em que tudo pareceu sem sentido? E como reagiu? Largou, enfrentou, fez tudo o que deveria fazer?

Eu acredito que este é daqueles filmes que se você está muito para baixo achando que nada presta, tome cuidado ao assistir, porque pode te levar ainda mais para baixo. Mas por outro lado pode ser o empurrão para te fazer subir.

Bem, como diz o filme Coma, Reze e Ame e assim sua vida terá equilíbrio e será plena e claro, não esqueça de perdoar e seguir em frente. Nada de coisas para te arrastar para baixo =)


Venenoso











Quer saber mais dos venenos do Poison? Assine o Feed ou siga pelo Twitter.


Share:

0 comentários