POISON BOOKS - Rainha do Cine Roma (Alejandro Reyes)


Autor: Alejandro Reyes
Editora: Leya
Publicação: 2010
Páginas: 289
Capítulos: --
Tema: Literatura Brasileira

RESENHA DA CONTRA-CAPA:
No dia em que se conhecem, Maria Aparecida e Betinho, duas crianças de rua em Salvador, tornam-se inseparáveis. Vitimas de abusos por parte dos pais, juntam-se às crianças que fazem de um cinema abandonado, o Cine Roma, a sua casa e da amizade que os une um antídoto para combater a dura realidade das ruas.
Entre mágoas e abraços, lagrimas e amores proibidos, Betinho e Maria Aparecida insistem na procura da felicidade, mesmo em situações tão adversas quanto cruéis. A rainha do Cine Roma é um retrato da vida real no submundo e uma história singular sobre duas crianças que preservam, de todas as formas, aquilo que as faz viver: a esperança.




RESENHA:
Como começar este livro? Em primeiro lugar ele é completamente diferente de tudo que já li aqui para o blog, mas não é por causa disso que ele me chamou atenção. Acho que a sinopse não dá nem ideia do que está por vir, mas o que um dos membros do júri disse resume muito mais;

“Quem tiver peito fraco, é melhor não tocar neste livro. Porque ele é duro, cru, verdadeiro. No entanto, no fim fica um fiozinho de açúcar, emoldurando uma réstia de esperança.” – Pepetela, escritor.

Com certeza quem possui estomago fraco deve se manter longe dele, porque o autor mostra a realidade nua e crua do submundo, do viver na rua e tudo que isso implica. Pessoas corruptas, suborno, drogas e um sentimento de que uma vez que você entra por esse caminho, a chance de voltar dele é muito difícil.

A Rainha do Cine Roma narra a vida de personagens que moram nas ruas da cidade de Salvador, ao longo da história alguns personagens aparecem e são importantes, enquanto outros somente é comentado para dar uma dimensão de que as pessoas entram neste mundo pelos mais variados motivos.

Mas os principais são Maria Aparecida e Betinho. Quem nos conta a história é Betinho, mostrando como conhecer uma pessoa pode mudar seu mundo e no dia que ele conhece a Maria, seu mundo dá uma volta de 180° e nunca mais seria o mesmo. Narra como cada um deles virou um morador de rua. As surras, o abandono dos pais, o jeito que os mesmos os tratavam e até abusavam deles, os levam a acreditar que é melhor viver na rua do que continuar deste jeito.

Mas a rua tem mais regras e talvez seja pior do que sofrer maus tratos dentro de casa, para tudo há negociação, pagamento, suborno e pouca luz no fim do túnel. Ao longo de suas paginas, ele narra tudo, incluindo partes que provavelmente preferíamos não ler, porque se imaginar já é difícil, ler a situação em si não deixa margem para dúvidas ou o não entendimento da situação.

A escrita do livro é um mundo a parte que num primeiro momento me irritou um pouquinho, porque ele escreve “com sotaque”, ou seja, escreve com as gírias e às vezes até com o jeito errado de falar do personagem. Mas apenas no fim do livro vamos entender o porque (sorry, senão seria um mega hiper spoiler).

Aqui Alejandro não tem medo de mostrar a verdade nua e crua, o lado negro do submundo e como certas coisas funcionam, as drogas, os pervertidos, tudo que eles são obrigados a passar e a constante questão do será que se eu for por esse caminho conseguirei voltar um dia? Essa é uma pergunta que aparece a todo instante, uma luta constante na tênue linha do certo e errado. Nas quais certas decisões vão ser pagas com a própria vida.

Apesar de não ser meu estilo favorito, eu gostei muito de ler. Pois ao mesmo tempo em que ficamos chocados com tudo que é descrito, ele mantém certo faz de contas, por isso acabamos torcendo pelos personagens para que mesmo com toda a tragédia que ocorre com eles, o final seja feliz. Porque a realidade já é dura o bastante para se enfrentar.

Para quem tiver estomago forte, quiser apreciar alguns pontos turísticos badalados de Salvador e ler algo mais maduro que a onda sobrenatural (que eu adoro de montão também, só para deixar claro), atreva-se a entrar neste submundo. Com certeza sairá outra pessoa.

Venenoso

Share:

0 comentários