POISON BOOKS - Jogos Vorazes (Suzanne Collins)


Autor: Suzanne Collins
Editora: Rocco
Publicação: 2010
Páginas: 397
Capítulos: 27
Tema: Jovem-Adulto, Distopia

RESENHA DA CONTRA-CAPA:
Ambientado num futuro sombrio, Jogos vorazes é pioneiro de uma tendência que vem ganhando força no mercado de best sellers juvenis: a dos romances distópicos e pós-apocalípticos. Primeiro volume de uma trilogia, o livro narra uma luta mortal encenada por crianças e transmitida ao vivo para todos os habitantes de uma nação construída sobre as ruínas de um lugar anteriormente conhecido como América do Norte. Com sua narrativa ágil e ousada, Jogos vorazes foi traduzido para mais de 30 idiomas e vem atraindo leitores de diversas faixas etárias.





RESENHA:
Bem, eu acho que essa resenha vai ser meio tensa, porque quando eu terminei de ler esse livro, fiquei pensando – Ok, o livro é bacana, mas não é tudo isso que o povo falou. Será que eu esperava muito do livro porque geral jogou ele lá em cima ou o povo anda jogando os livros lá em cima para dar status?

Se isso é ou não verdade, não cabe eu ficar levantando essa bandeira, afinal alguns livros são assim, eles causam polêmicas e o máximo que podemos fazer é: ler e dar a sua opinião e a minha é:

Que comecem os Jogos Vorazes!!!!
                                                                                                                               
Vamos analisar por partes como diria Jack, o Estipador. O livro é dividido em 3 partes e se eu fosse dar notas separadas por elas seria: parte 1 – 4 estrelas, parte 2 – 5 estrelas e parte 3 – 3 estrelas. E vamos ao porque delas.

No futuro apocalíptico, onde tudo foi destruído e qualquer tentativa de rebelião é vetada, tratada de forma cruel e para provar isso, o território onde antes era os EUA agora se chama Panem e foi dividido em 13, ops 12 territórios (é que um foi cortado do mapa para mostrar quem mandava de verdade). E nesse momento conhecemos Katniss, a nossa heroína?! da história, ela vai nos contando como a Capital mantém esse regime autoritário e como os distritos devem se comportar perante à Capital.

No inicio confesso que eu achava que ela seria tipo a Rose do Academia de Vampiro, ia mandar ver, ligar o “não estou nem aí” e mandar ver. Principalmente durante os jogos, mas nem foi assim e fiquei muito desapontada. A autora mostra a mocinha cheia de ideias idealistas e de repente elas não vão tão para frente assim.

Na segunda parte, a parte dos Jogos Vorazes (que dá o nome do livro, apesar de inglês se chamar Hunger Games, que numa tradução livre seria Jogos da Fome, porque o motivo é esse mesmo – comida!!) eu preciso dizer que a autora soube melhor do que ninguém pegar os Gladiadores da Roma antiga, porém ao invés de homens condenados à morte temos crianças de 12 a 18 anos lutando até a morte e o povo todo aplaudindo e pedindo bis. Um leve tapa na nossa sociedade atual que adora ver baixarias pela TV.

Tirando um ou outro momento que eu não consegui engolir, porque cá entre nós numa luta até a morte, é tipo assim, ou você mata ou morre e tem uns momentinhos ali que foi jogo de comadres, é ruim que na realidade não teria tudo terminado em sangue. Mas eu até entendo, ela quis mostrar que mesmos nos piores momentos, há pessoas boas e que mesmo correndo o risco de morrer, não querem levar nenhuma espécie de divida para a próxima vida.

Mas com certeza é a melhor parte do livro... eu lembro de pensar em ler até o capitulo 10 e depois ir dormir, mas aí quando eu comecei o capítulo (que é o primeiro da parte dos jogos), me deu uma coisa que fiquei grudada nele até o fim e acabei indo dormir depois que acabou a parte dos jogos e entrava na parte 3 – O Vitorioso.

O livro poderia ter terminado aí e me deixaria com muita vontade de ler o 2. Porque do jeito que ele terminou, sério eu quase desisti da série. Até comentei no twitter, mas me garantiram que o livro 2 vai compensar esse final horroroso. E mostrar que o casal  pode render alguma coisa.

Lembra lá em cima quando eu falei que a mocinha parecia a Rose, mas não era. Nesta parte tudo vai pelos ares, a Katniss fica chata pacas, tentando compreender algo e se passar por uma coisa que não é, mas de uma forma irritante... Ficava pensando quando o livro ia acabar, depois de momentos tão bons. Os personagens parecem perdidos, sem animo. Meu Deus, vocês acabaram de sair vitoriosos numa arena e parecem que morreram para o mundo? Eu com certeza comemoraria... afinal sair com vida é algo meio raro, é uma chance de 4%.

De verdade, quando eu fechei o livro não fiquei entusiasmada com o próximo. Não vou ler em inglês ou traduzido ou sei lá o que. Ele não me prendeu como alguns que terminei de ler recentemente. Onde a última frase do livro dá vontade de você tomar um avião e ir lá querer tirar satisfação com o autor. E perguntar; Meu, porque você fez isso comigo?

Não digo que não irei ler a continuação, mas irei esperar com toda a calma do mundo ele sair aqui no país e aí sim ler com calma. Como vocês conhecem a editora, com certeza vai demorar. E torcendo mesmo para que o livro 2 me prenda para chegar ao 3.

Venenoso


Compre Aqui – Compare Preços:






Quer saber mais dos venenos do Poison? Assine o Feed ou siga pelo Twitter.

Share:

0 comentários