POISON BOOKS - Odd Thomas (Dean Koontz)



Autor: Dean Koontz
Editora: Record
Publicação: 2009
Páginas: 447
Capítulos: 67
Tema: Romance, Jovem-Adulto, Sobrenatural

RESENHA DA CONTRA-CAPA:
Perdida no deserto de Monjave, Pico Mundo é o lar de um jovem com uma incrível habilidade. Odd Thomas pode ver os mortos. Apesar disso, a vida desse cozinheiro poderia ser considerada comum até então, mas uma sombra sinistra paira sobre a cidade.
Da cozinha do restaurante, Odd se sobressalta ao ver um estranho sentado ao balcão: ele está cercado de bodachs, entidades que só se mostram quando algum desastre de proporções gigantescas está para acontecer. Na casa do suspeito ele encontra um arquivo sobre os piores assassinos da história e um portal para os bodachs – indícios suficientes para Odd temer um assassinato em massa. Com a ajuda de um grupo de amigos, ele se lançará em uma corrida contra o tempo para salvar os habitantes.



RESENHA:
O problema de quando você gosta muito de uma série é que depois acaba comparando todos os próximos livros com a série de que gosta. E como eu sou muito apaixonada pela saga Mediadora da Meg Cabot, qualquer livro depois que fale sobre gente que pode ver os mortos automaticamente me faz comparar com esta saga.

Odd Thomas me chamou atenção pelo nome. E como o enredo assemelhava ao de Mediadora, achei que seria um prato cheio. Porém eu me surpreendi negativamente. Apesar da leitura não ser arrastada a história não é lá grandes coisas.

Odd pode ver os mortos e devido ao seu dom sobrenatural ele vive na pequena cidade de Pico Mundo. Mas a grande ameaça para ele são os bodachs – criaturas feitas de sombra que adoram estar próximas das pessoas que irão sofrer algum tipo de ataque ( se ele for violento melhor ainda para elas) – e neste dia fatídico que narra o livro, esses seres estão em uma quantidade absurda vagando pela cidade.

Poucas pessoas sabem deste lado sobrenatural dele, seus pais são figuras incompreensíveis – a mãe é psicótica, adorando um drama suicida e o pai está sempre querendo namorar meninas mais novas (praticamente da idade de Odd). Sendo assim ele conta apenas com sua namorada, Stormy, um chefe de policia que sabe sobre ele e seus pais esquisitos e a dona do restaurante onde trabalha como cozinheiro.

Ele narra o dia D, quando os bodachs atacam Pico Mundo, pois ele vinha sonhando sobre este assunto há dias, mas não tinha certeza sobre nada. Como aconteceria o ataque, o dia e quem poderia sair ferido. Mas quando ele percebe que o fantasma de Elvis Presley irá ficar o dia todo com ele, começa a pressentir que algo bacana não vai acontecer.

A história poderia ter contado mais, tinha tantas coisas para descrever e no meio do livro vira algo como “uma caçada aos locais onde os bodachs visitam, para identificar possíveis pessoas relacionadas ao grande acontecimento”. Os momentos com a namorada que poderiam ser melhor explorado são poucos e alguns relativamente chatos.

Nem quero mencionar o final. Cenas dignas de filme de mentira das brabas e no fim mesmo acontecem coisas que ficamos nos perguntando – ‘depois de tudo que você (autor) escreveu, vai fazer isso? Que droga é essa?’ – eu confesso que era um livro para um grande potencial, mas em algum momento a história bacana se perdeu e virou essa caçada.

A mesma coisa falo sobre o “vilão”, ele não é um vilão de respeito. Daqueles que quando o plano é explicado, ficamos pensando – uau onde essas pistas estavam no livro que eu não presta atenção? – dá a entender que ele tinha um enredo, mas não tinha todas as pontas bem amarradas.

Na contra-capa está escrito > Equilibrando humor e suspense...< humor passou longe e suspense tem num ou outro momento,  esse livro é daqueles que a sinopse te promete mundos e fundos, mas depois de terminar de ler, ficamos nos perguntando onde está aquilo que estava escrito.

Uma pena, realmente esperava grandes feitos para Odd Thomas...

Tóxico



Compare Preços:                                                          


Quer saber mais dos venenos do Poison? Assine o Feed ou siga pelo Twitter


Share:

12 comentários