POISON BOOKS || Uma história Incomum sobre Livros e Magia (Lisa Papapdemetriou)

Em 23 junho 2016

Autor: Lisa Papademetriou
Tradutor: Carolina Alfaro
Editora: Arqueiro
Série: Não
Temas: Infantojuvenil, Aventura, Ficção, Sobrenatural
SINOPSE: Duas meninas encontram um livro mágico e cada uma se vê envolvida numa história que parece ser contada sozinha. 
Kai chega ao Texas para visitar sua tia-avó Lavinia – uma senhora extravagante, durona e fã de hip-hop. Do outro lado do mundo, no Paquistão,
Leila deseja ser tratada como uma princesa pela família de seu pai e viver fortes emoções. 
Elas só não fazem ideia de que seus mundos completamente diferentes estão prestes a se chocar graças a um enigmático livro em branco. 
Quando Kai escreve no livro, suas palavras magicamente aparecem no exemplar de Leila. As meninas então percebem que O cadáver excêntrico reage a cada frase acrescentada – não importa se foi inspirada pelo ataque de um chihuahua ou por um mal-entendido com uma cabra – com um trecho da história de amor vivida por Ralph Flabbergast e Edwina Pickle mais de cinquenta anos antes. 
Uma história incomum sobre livros e magia entrelaça essas três perspectivas – de Kai, Leila e Ralph – de uma forma divertida e emocionante. É uma narrativa mágica sobre o destino e os laços invisíveis que nos ligam uns aos outros.

>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“Ninguém nunca tinha dito a Kai que ela devia prender a respiração ao passar por um cemitério, mas ela prendeu mesmo assim.”

RESENHA<<<
Esta história não me bateu no coração, esperava algo mais gracinha ou mesmo bonitinho, mas a verdade é que ela é simples e até um pouco boba demais até para crianças. A ideia até pode ter sido original e diferente, mas como ela foi escrita e seus links ficou muito a desejar.

A história tem muita enrolação e olha que o livro tem apenas 190 páginas, descrições detalhadas de coisas simples, que na maioria das vezes todos nós conhecemos e sabemos do que se trata. Tem muitas partes chatas e repetitivas.

As personagens são fraquinhas, foi difícil enquadrá-las em qualquer situação – desprezadas, chatas, perdidas, que sofrem bullying ou qualquer coisa, elas são crianças normais e nem encontrando um livro mágico se tornam ‘atrativas’. Posso estar sendo um pouco chata, mas leio para entrar em um mundo novo, desconhecido, para ler sobre rotina, fico com a realidade.

O lado mágico também ficou a desejar. Acredito que se a história tivesse sido contada direto, sem ser intercalando, ela poderia ter rendido muito mais.

De modo geral, a história é simples e fraca. É uma ideia que precisava ser melhor trabalhada e evoluída, até acredito que tinha material para fazer uma boa história, com efeitos, mistérios e aquela magia. Na verdade, era para ser daquelas histórias que a gente faz *oinn* a cada página praticamente, mas desse jeito acabou sendo algo que passará batido por mim.

>>> Já conhece as outras redes sociais do blog? Clique e seja bem-vindo <<<

POISON BOOKS || A Rebelde do Deserto (Alwyn Hamilton)

Em 21 junho 2016

Autor: Alwyn Hamilton
Tradutor: Eric Novello
Editora: Seguinte
Série: Sim, livro 1 (série A Rebelde do Deserto)
Temas: Jovem-Adulto, Contos, Aventura, Ficção, Sobrenatural
SINOPSE: O deserto de Miraji é governado por mortais, mas criaturas míticas rondam as áreas mais selvagens e remotas, e há boatos de que, em algum lugar, os djinnis ainda praticam magia. De toda maneira, para os humanos o deserto é um lugar impiedoso, principalmente se você é pobre, órfão ou mulher. 
Amani Al’Hiza é as três coisas. Apesar de ser uma atiradora talentosa, dona de uma mira perfeita, ela não consegue escapar da Vila da Poeira, uma cidadezinha isolada que lhe oferece como futuro um casamento forçado e a vida submissa que virá depois dele. 
Para Amani, ir embora dali é mais do que um desejo — é uma necessidade. Mas ela nunca imaginou que fugiria galopando num cavalo mágico com o exército do sultão na sua cola, nem que um forasteiro misterioso seria responsável por revelar a ela o deserto que ela achava que conhecia e uma força que ela nem imaginava possuir.

>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“Diziam que só pessoas mal-intensionadas andavam pela cidade de Tiroteio depois do anoitecer.”

RESENHA<<<
Uma história delícia, um mundo mágico a la ‘Mil e Uma Noites’, aventura e um quê de vamos lugar por um mundo melhor. São tantos bons ingredientes em ‘A Rebelde do Deserto’ que assim que terminei o livro fiquei me perguntando como fazer para aguentar o próximo ano esperando a continuação.

A história aqui contada por Alwyn Hamilton tem tudo que nós leitores amamos, ela é leve, mas ao mesmo tempo nos mostra sobre escolhas, mudanças, o que nós podemos esperar do futuro e como também temos de fazer o nosso futuro, nada vai cair do céu, a verdade é essa. E no meio dessas idas e vindas nas areias do deserto, ela nos mostra uma personagem de garra.

Amani é uma personagem maravilhosa, espirituosa, mas disposta a lutar, lembrando que a história se passa no que seria o nosso Oriente, podemos esperar um lugar onde mulheres ainda são propriedade dos pais/maridos e eles que decidem suas vidas. E a vida que querem decidir para ela, não é exatamente o que ela deseja, por isso ela é tão peito aberto, aquela que se arrisca. Ela com certeza é da teoria ‘pior do que está não fica’ e olha, confusão é o nome do meio desta menina.

A história mescla aventuras, momentos de tensão no deserto e um pouco de sobrenatural, já que há djinnis, seres elementais, que podem conceder desejos, forças da natureza e algumas coisas que ainda serão mais explicadas em futuros livros. Fazer comparações com as belas histórias de Sharezarde não foi difícil, o jeito que a autora narra é tão mágico que praticamente você se teletransporta para as dunas do Saara.

Os pontos de reviravolta da história são muito bem elaborados e acontecem no momento certo, afinal quando você acha que vai entrar em algo monótono, eis que surge uma revelação, ou uma pequena informação e lá vamos nós nos agarrar em mais capítulos e seguir adiante. O fato da narrativa ser rápida e fluída ajuda e muito. É daqueles livros que a gente lê ‘em uma sentada’.

Os demais personagens que vão surgindo, são bem apresentados e alguns ainda guardam seus mistérios mesmo após o fim do livro 1, mas cuidado, não é exatamente um mar de rosas. Haverá baixas, momentos tensos e tristes, pode ser que você precise de um lencinho.

Um pontinho positivo é que não há tanto romance quanto achei que teria, fiquei com medo de um determinado momento se tornar algo meloso demais e a expectativa ir baixando, mas parece que não é o ponto forte na história, e acredito ser melhor assim, afinal com tantas rebeliões, descobertas e paisagens de tirar o fôlego, a gente não ia se importar tanto com romance...rs

>>> Já conhece as outras redes sociais do blog? Clique e seja bem-vindo <<<

POISON BOOKS || Qualquer Outro Lugar (A. G. Howard)

Em 16 junho 2016

Autor: A. G. Howard
Tradutor: Denise Tavares Gonçalves
Editora: Novo Conceito
Série: Sim, livro 3 (série O Lado Mais Sombrio)
Temas: Jovem-Adulto, Aventura, Magia, Contos
SINOPSE: Alyssa está tentando entrar novamente no País das Maravilhas. Os portais para o reino se fecharam, não sem antes levarem sua mãe. Jeb e Morfeu estão presos em Qualquer Outro Lugar, reino em que intraterrenos expulsos do País das Maravilhas estão vivendo.
Para resgatá-los, ela precisa recorrer à ajuda de seu pai. Juntos, eles iniciam uma missão quase impossível para tentar resgatar entes queridos, restaurar o equilíbrio dos reinos e o lugar dela como Rainha.
Alyssa precisa lutar não só com a Rainha Vermelha, um espírito malicioso que tem a intenção de refazer o País das Maravilhas à própria imagem, mas também reconstruir seu relacionamento com Jeb, o mortal que ela ama, e Morfeu, o ser fantástico que também reivindica seu coração.
E, se todos tiverem sucesso e saírem vivos, eles poderão finalmente ter o felizes para sempre .


>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“Eu achava que lembranças eram algo que seria melhor deixar para trás...”

RESENHA<<<
Antes de se aventurar no último da série, que tal conhecer os anteriores?

Nada como chegar a mais um final de série. É bom, é triste, é uma mistura de emoções. Mas é bom saber que aquele mundo que você pôde dar uma espiadinha está se fechando de forma linda (esperamos sempre que ele feche de forma linda, mas nem sempre acontece...).

Esta série foi uma paixão à primeira vista, fugiu um pouco do lugar-comum, tentou criar novas ideias, mas sem perder a ideia original – algo que foi baseado no País das Maravilhas. E nem falaremos das capas. Cada uma mais linda que a outra (agradeço por terem mantido a capa original *_*).

Geralmente nos últimos livros de qualquer série vem aquela enxurrada de respostas que estava em aberto nos 10463529564 livros que a série tem. Óbvio que o autor precisa dar respostas, mas quando é apenas isso é dose encarar. Aqui não, a autora ainda deu uma canjinha com algumas reviravoltas, soluções interessantes e um algo a mais.

Uma dica importante que quero dar para aquelas(es) que amam ler as páginas finais do livro é: NÃO.FAÇAM.ISSO!!!! O epílogo curtinho, apenas 3 folhas, mostra uma solução que foi definida depois de muitas guerras, lutas, amores impossíveis e tal, então caso leia, você pode passar um desespero desnecessário.

Ainda falando do final, apesar de gostar, diria que foi um daqueles finais fáceis. Onde agradamos todos ao mesmo tempo. Mas não sei se teria feito algo diferente, mas para quem já acompanha a série (e com certeza já fez sua aposta) terá a sua resposta no meio do livro. Espero que seja algo que vocês queriam também.

Em relação ao País das Maravilhas e as reviravoltas e suas lutas, a autora soube inovar, não é um livro parado ou chato, ela traz informações sobre o pai e a mãe da protagonista, que eu achei que sempre foram muito vagas no decorrer da história, ficando a impressão que a guria era filha de chocadeira já que o assunto sempre era ela e nunca tentou enxergar além daquele quadradinho.

Foi um final de série bacana. Com sua leitura ágil, intensa e sem cair nos clichês de final de série, a autora conseguiu fechar muito bem sua trilogia. Como disse lá no início da resenha, foi uma visita muito interessante a essa releitura de um clássico.

>>> Já conhece as outras redes sociais do blog? Clique e seja bem-vindo <<<

POISON BOOKS || O Acordo (Elle Kennedy)

Em 14 junho 2016

Autor: Elle Kennedy
Tradutor: Juliana Romeiro
Editora: Paralela
Série: Sim, livro 1 (série Amores Improváveis)
Temas: New Adult, Roamance, Relacionamento, Comportamento
SINOPSE: Tocante, profundo, engraçado, sexy... ''O Acordo" é um romance que vai te encantar e surpreender a cada página.
Hannah Wells finalmente encontrou alguém que a interessasse. Mas, embora seja autoconfiante em vários outros aspectos da vida, carrega nas costas uma bagagem e tanto quando o assunto é sexo e sedução. Não vai ter jeito: ela vai ter que sair da zona de conforto Mesmo que isso signifique dar aulas particulares para o infantil, irritante e convencido capitão do time de hóquei, em troca de um encontro de mentirinha.
Tudo o que Garrett Graham quer é se formar para poder jogar hóquei profissional. Mas suas notas cada vez mais baixas estão ameaçando arruinar tudo aquilo pelo qual tanto se dedicou. Se ajudar uma garota linda e sarcástica a fazer ciúmes em outro cara puder garantir sua vaga no time, ele topa. Mas o que era apenas uma troca de favores entre dois opostos acaba se tornando uma amizade inesperada. Até que um beijo faz com que Hannah e Garret precisem repensar os termos de seu acordo.

>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“Ele não sabe que existo.”

RESENHA<<<
Tinha um tempo que não aparecia New Adult no blog, e a verdade é que por mais que as autoras se esforcem, suas histórias acabam se tornando repetitivas e ninguém quer ler algo assim em seguida. Eu gosto de variar as histórias que leio, e o New Adult dá a sensação de que nunca termino a história.

Não digo que em ‘O Acordo’ os clichés e a premissa que seguem as histórias desse tema/gênero não estejam presentes. Elas existem e aos montes. Mas vi que a autora tentou sair do lugar-comum e criar algo com superação e o tom de divertimento dá o algo a mais para continuar a seguir suas páginas.

Nossa protagonista precisa ser ‘consertada’, devido à acontecimentos da sua vida. E a autora se focou que é possível superá-los e seguir em frente. Não esquecer, mas entender que a culpa não é sua e você tem todo direito e dever de viver bem a sua vida. Percebemos essa evolução ao longo das páginas, foi algo realista. Construído aos poucos. Percebi aqui que a autora se importou em passar uma imagem positive a todos sobre o assunto.

Já o par romântico, foge da mesmice, afinal, ele não é um cara babaca que está acostumado a destratar as mulheres ou é revoltado por algo. Ele tem sim seus problemas, mas porque levantar a bandeira de que todo homem não presta e a pobre mocinha precisa mudá-lo?

A história é divertida e leve, são dois personagens que se complementam e há uma ‘química’ bacana. Namorar não é apenas sexo, tem o companheirismo, os momentos bons e ruins, superação e um pouco de divertimento e a história tenta fugir dessa paixão desenfreada e meio amor à primeira vista que sempre é construído.

A narrativa rápida e intensa, ajuda a seguir em frente e querer saber mais das ideias loucas e divertidas que vão surgindo. Um fato que contribui é o livro ser narrado ora por ela, ora por ele, então sabemos o que pensam e sentem, mesmo que eles não falem para o outro.

>>> Já conhece as outras redes sociais do blog? Clique e seja bem-vindo <<<

POISON BOOKS || Trama (Michael Jensen & David Powers King)

Em 11 junho 2016

Autor: Michael Jensen & David Powers King
Tradutor: Ivanir Calado
Editora: Arqueiro
Série: Não
Temas: Infantojuvenil, Aventura, Reinos, Magia
SINOPSE: TODO MUNDO FAZ PARTE DE UMA TRAMA.
O sonho de Nels era ser cavaleiro do reino de Avërand. Filho obediente, ajudava como podia os moradores de sua pequena e tranquila aldeia. Querido por todos e tratado como herói, acreditava que logo seria selecionado como escudeiro da cavalaria.
Mas isso foi antes de ser assassinado por uma figura misteriosa.
Nels virou um fantasma, e agora só uma pessoa consegue vê-lo: a princesa Tyra, herdeira do reino e sua única esperança de entender o motivo do crime. A princípio, a jovem mimada não dá a menor confiança para o rapaz, mas, à medida que o mistério da morte dele vai se desenrolando, os dois percebem que têm em comum um segredo e um inimigo terrível, que pode se disfarçar de qualquer pessoa.
Nels e Tyra não têm escolha. Precisam fugir do castelo, desbravar um mundo oculto repleto de magia e espectros sombrios e encontrar uma agulha, a relíquia capaz de remendar o que foi descosturado na Grande Tapeçaria. E o tempo corre contra eles, pois o fio de Nels está prestes a desaparecer para sempre.

>>>PRIMEIRA FRASE DO LIVRO<<<
“A poeira fazia cocegas no nariz de Chaleira, mas ele não se deu ao trabalho de coçar.”

RESENHA<<<
Mas uma resenha aqui no blog. Dessa vez voltada ao público infanto-juvenil. Eu sou uma fã desse tipo de história, mas a verdade é que é difícil conseguir boas histórias, ou as crianças são muito bobinhas. Elas têm 15 anos, mas agem como se tivessem 10 ou acabam parecendo mini adultos.

Mas a história de ‘Trama’ tem uma pegada legal. O autor descreve seus personagens de forma bacana e percebemos a evolução dos mesmos ao longo de suas páginas, bem como o lugar onde a história se passa.

Repleta de magia, mistérios e reinos, não há como se apaixonar por suas páginas. A história de certa forma é simples, um jovem camponês que quer se tornar cavaleiro, mas more – sim, ele more logo no início da história – e seu fantasma passa a atormentar a jovem princesa, que tenta fazer de tudo para se livrar dele. Afinal, quem quer se assombrado por um fantasma?

O cavaleiro é brilhante e um bom rapaz, há toda uma saga envolvida, mas não o vi como ponto central da história. Já a princesa possui muito mais reviravoltas, ela é mimada, chata, irritante e muitas vezes tive vontade de matá-la, mas de todos os personagens, ela que mais se destacou, foi crescendo pouco a pouco.

O Reino descrito na história está cercado de mistério e magia, tempos perdidos, povos estranhos, falhas no tempo, magos e coisas que não sabemos como vai ser permeiam a narrativa, que começa um pouco devagar, mas avança para algo com mais ritmo e intensidade depois de um terço do livro.

Mais um ponto positivo é o fato de não ser série, muitas vezes deixamos de ler coisas legais e/ou divertidas porque simplesmente cansa esperar 3 ou 4 anos para ter tudo complete, então para os fãs do gênero, deem uma chance para esta leitura!

>>> Já conhece as outras redes sociais do blog? Clique e seja bem-vindo <<<